WhatsApp Twuitter

Quarta, 13 de setembro de 2017, 11h42

Operação Chequinho

Ex-governador do Rio Anthony Garotinho é preso novamente pela Policia Federal


O ex-governador do Rio, Anthony Garotinho (PR) foi preso pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (13), enquanto apresentava seu programa diário na Rádio Tupi, por volta das 10h30, em São Cristóvão, zona norte da cidade.

A transmissão do programa Fala Garotinho foi interrompida e um dos locutores chegou a dizer que o ex-governador tinha ficado sem voz.

"Nosso Garotinho até tentou fazer o programa hoje, mas a voz foi embora. A orientação médica é que ele pare de falar. Tem que se cuidar", afirmou.

Uol

Contra ele, foi cumprido um mandado de prisão domiciliar, expedido pela Justiça de Campos. Os agentes da Polícia Federal estão conduzindo o ex-governador para o município, no norte fluminense, onde a medida será cumprida. A decisão estabelece ainda que o ex-governador utilize uma tornozeleira eletrônica e limita o contato dele aos advogados e familiares.

No entendimento da Justiça, a prisão se faz necessário porque Garotinho estaria intimidando testemunhas e atrapalhando as investigações. Há uma denúncia, que ainda está sendo investigada, de tentativa de suborno ao juiz responsável pela Operação Chequinho, o magistrado Glaucenir de oliveira.

A operação Chequinho investiga o uso eleitoral do programa Cheque Cidadão para compra de votos no município de Campos. Garotinho é suspeito de liderar o esquema e havia sido preso em novembro do ano passado, porém teve a prisão revogada por decisão unânime do TSE (Tribunal do Superior Eleitoral).

Na ocasião, a prisão foi decretada pelo juiz Glaucenir Silva de Oliveira, da 100ª zona eleitoral.

Outro lado

O advogado Rafael Faria, que defendeu Garotinho durante parte desse processo, mas renunciou recentemente por "se tratar de um processso político", falou ao R7 sobre o caso.

— Por mais esforço que fosse feito pela defesa, tudo o que a defesa fazia era refutado. Isso [prisão] iria acontecer de qualquer forma. O juiz de lá [de Campos] tem um comportamento de perseguição em relação ao ex-governador.

Ele ainda acrescentou que não causa estranhamento o fato de a prisão ocorrer logo após Garotinho manifestar intenção em disputar o governo do Rio no ano que vem.

A reportagem ainda não localizou os atuais advogados de Anthony Garotinho. 



// matérias relacionadas

Sábado, 25 de novembro de 2017

12:49 - Família de Garotinho repudia hipótese de que teria se machucado de propósito

Sexta, 24 de novembro de 2017

20:05 - Justiça nega transferência do ex-governador Anthony Garotinho de Benfica

10:04 - Sob gritos de 'pilantra', Adriana Ancelmo volta para a prisão

Quinta, 23 de novembro de 2017

20:10 - Adriana Ancelmo chega a presídio onde também está Cabral

Quarta, 22 de novembro de 2017

13:33 - Casal Garotinho é acusado de organização criminosa e corrupção

08:43 - Ex-governadores Garotinho e Rosinha são presos em operação da PF no Rio

Segunda, 28 de novembro de 2016

08:02 - A partir de hoje sou babá, diz Geddel Vieira

Quinta, 24 de novembro de 2016

08:08 - Caso Geddel vai parar na Polícia Federal

Terça, 22 de novembro de 2016

10:53 - Garotinho acusa juiz que o prendeu de falsa acusação

10:51 - Garotinho chega em carro da PF ao seu apartamento


// leia também

Sábado, 23 de junho de 2018

08:42 - Desaprovação a Bolsonaro sobe a 64%, diz Ipsos; pior situação é a de Alckmin

08:33 - Descrédito nos partidos atinge 8 em 10 brasileiros

Sexta, 22 de junho de 2018

19:15 - Fachin nega recurso de Lula e julgamento é cancelado no Supremo

18:25 - TRF4 rejeita recurso de Lula ao Supremo contra condenação

17:06 - Justiça homologa delação premiada de do ex-ministro Antonio Palocci

14:32 - Morre Waldir Pires, ex-ministro e ex-governador da Bahia

13:45 - Defesa de Lula nega pedido de prisão domiciliar para o ex-presidente

11:21 - Morre aos 91 anos o ex-governador da Bahia e ex-ministro da Defesa Waldir Pires

09:09 - Lewandowski nega sessão secreta para julgamento do pedido de liberdade de Lula

09:03 - Cármen vai arquivar investigação sobre áudio de Joesley que cita ministros