WhatsApp Twuitter

Quarta, 13 de setembro de 2017, 18h05

política Nacional

Janot foi ludibriado, diz vice-procurador-geral Nicolao Dino


O vice-procurador-Geral da República, Nicolao Dino, afirmou nesta quarta-feira, 23, que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi ‘ludibriado‘ por executivos do grupo J&F ao firmar os acordos de delação premiada deles. A declaração foi dada durante sustentação oral perante o pleno do Supremo Tribunal Federal (STF), durante a sessão em que os ministros da Corte analisavam pedido da defesa do presidente Michel Temer para suspender eventual segunda denúncia apresentada por Janot contra ele, até que as provas obtidas por meio dessa delação sejam analisadas pelo Ministério Público e pelo STF.

‘O procurador-geral da República foi ludibriado, houve omissão de informações‘, afirmou Dino. As omissões teriam sido reveladas por novos áudios de conversas entre o empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, e ex-executivo Ricardo Saud. As gravações levantam suspeitas de que os dois delatores manipularam provas da delação. Além disso, provocaram suspeitas de que o ex-procurador da República Marcelo Miller, que fez parte da equipe de Janot, atuou dentro da PGR a favor dos delatores, enquanto ainda estava no cargo. Após deixar o posto, Miller virou advogado do escritório que comandou o acordo de leniência do grupo J&F.

Para o vice-procurador-geral, esses fatos não invalidam as provas. Para ele, as provas só serão examinadas após Janot apresentar eventual segunda denúncia e, se a Câmara dos Deputados aprovar a admissibilidade dela. ‘Esse juízo de admissibilidade sequer foi exercido, porque sequer foi proposta ação penal‘, disse. Na avaliação de Dino, o Supremo não pode fazer essa pré-avaliação no bojo dos ‘estreitos limites‘ da questão de ordem apresentada pela defesa de Temer. ‘Por todos esses aspectos, a PGR insiste no argumento da rejeição da questão‘, acrescentou. 



// matérias relacionadas

Quarta, 20 de setembro de 2017

19:18 - Raquel Dodge defende envio da denúncia contra Temer à Câmara

13:15 - Joesley contratou empresa de delegado que atuou no caso Marcela Temer

12:52 - Entrega dos novos áudios de delatores foi uma 'casca de banana'

12:13 - Defesa de Temer volta a pedir ao STF que devolva denúncia à PGR

Terça, 19 de setembro de 2017

19:30 - Lula e Gilberto Carvalho se tornam réus por corrupção passiva

Segunda, 18 de setembro de 2017

16:22 - Investigados da Lava Jato 'compraram' visto europeu, diz jornal

Domingo, 17 de setembro de 2017

10:35 - Supremo prevê relação menos tensa com Dodge

Sexta, 15 de setembro de 2017

21:40 - Defesa recorre ao STJ com novo UC contra prisão dos irmãos Batista

20:09 - Após audiência de custódia, Joesley Batista ficará preso na PF em SP

19:10 - Cunha chega a Brasília, onde vai depor em processo sobre desvios


// leia também

Quarta, 20 de setembro de 2017

19:54 - Câmara aprova MP que altera regras do Fundo Penitenciário Nacional

18:40 - Temer diz a investidores que Brasil é um destino seguro para negócios

17:47 - Maioria do STF vota pelo envio de denúncia contra Temer à Câmara

17:04 - Moraes acompanha voto de Fachin contra suspensão de denúncia de Temer

16:52 - PMDB possivelmente terá candidato nas eleições de 2018, diz Temer

13:03 - Relator da CPMI da JBS admite convocar delatados, mas descarta ouvir Temer

12:37 - Comando do Exército diz que não vai punir general que pregou intervenção militar

12:25 - Randolfe Rodrigues pede ao Supremo que suspenda CPMI da JBS

Terça, 19 de setembro de 2017

23:30 - Mulher de Cabral fez 11 compras de joias, maioria sem nota fiscal

22:15 - Fachin rejeita pedido da defesa de Temer e mantém denúncia no STF