WhatsApp Twuitter

Quarta, 13 de setembro de 2017, 20h18

STF interrompe julgamento sobre suspensão de denúncia contra Temer


O Supremo Tribunal Federal (STF) interrompeu nesta quarta-feira (13) o julgamento do pedido feito pela defesa do presidente Michel Temer para suspender uma eventual denúncia contra ele a ser apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Após a manifestação do advogado de Temer e da PGR, a sessão foi encerrada e a análise da questão deverá ser retomada na semana que vem.

No início dos debates, os ministros Marco Aurélio e Gilmar Mendes adiantaram que o julgamento será polêmico. Mendes questionou o fatiamento do inquérito contra Temer e pediu esclarecimentos da PGR sobre a suposta atuação do ex-procurador da República Marcello Miller em favor da JBS durante o período em que trabalhou na procuradoria.

“Quando discutimos no fim de junho a delação, fiz considerações sobre o Miller. Falei de ação controlada ilegal. Agora parece que a procuradoria precisa esclarecer isso, antes da eventual denúncia que venha a oferecer”, disse Gilmar Mendes.

Já Marco Aurélio questionou o pedido da defesa do presidente para suspender o envio de uma eventual denúncia pelo Ministério Público. “Pela primeira vez em 27 anos, me defronto com um pedido no sentido de o Supremo obstaculizar a oferta de uma denúncia pelo Ministério Público. A meu ver, isso é grave, porque quebra o sistema não só legal como constitucional", argumentou.

Defesa pede cautela

Na avaliação do advogado Antônio Claudio Mariz, representante de Temer, as suspeitas de que o ex-procurador Marcello Miller teria beneficiado os delatores da JBS, fato que motivou abertura de um processo de revisão da delação, justifica cautela no prosseguimento das investigações e a suspensão da eventual denúncia.

Ao subir à tribuna nesta tarde, Mariz refirmou o pedido para suspender uma eventual denúncia contra o presidente a ser apresentada esta semana pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. “Acho temerário o processamento de uma denúncia, em face dos dados que estão sendo colhidos”, alertou o advogado.

Segundo ele, a denúncia deve ficar suspensa até o fim das investigações sobre a revisão da delação premiada do empresário Joesley Batista e sobre a validade das gravações que foram entregues a Procuradoria-Geral da República.

“As provas precisam ser pesquisadas, [pois] podem ter sido forjadas, podem conter mentiras. Elas podem ter sido fruto de uma artimanha, algum artifício. Tanto que um deles [Joesley] está preso”, disse Mariz.

Ao se manifestar durante a sessão do STF, o vice procurador eleitoral, Nicolau Dino, disse que as questões levantadas pelo ministro Gilmar Mendes estão sendo investigadas por Rodrigo Janot, que não participou da sessão.



// matérias relacionadas

Sábado, 19 de maio de 2018

18:00 - Lula preso quer de volta benefícios de ex-presidente

08:58 - Ex-ministro José Dirceu terá 2 horas de banho de sol e quatro refeições

Sexta, 18 de maio de 2018

10:55 - José Dirceu vai se entregar e está preocupado com a filha de 7 anos

Quinta, 17 de maio de 2018

13:32 - TRF4 nega último recurso e autoriza prisão de José Dirceu

12:03 - PF afirma que Glesi recebeu R$ 885 mil em propina na Lava Jato

11:59 - Preso, Lula não precisa de benesses conferidas a ex-presidentes, decide juiz

Quarta, 16 de maio de 2018

11:51 - Não há sinais de rupturas democráticas no Brasil, diz Moro em NY

08:58 - Novo proprietário de tríplex tem condenação na Justiça da Paraíba

Terça, 15 de maio de 2018

08:59 - STF realiza 1º julgamento de político com foro investigado pela Lava Jato

Segunda, 14 de maio de 2018

10:30 - PT tenta 'tirar' pré-campanha da prisão


// leia também

Domingo, 20 de maio de 2018

11:11 - Aliança competitiva em reduto eleitoral ainda é minoria

08:28 - Dodge reforça pedido de rescisão de delação de Wesley Batista

Sábado, 19 de maio de 2018

17:00 - Tucano tem boa relação com MG, afirma Anastasia

16:00 - Cenário local atrapalha negociação de três partidos

13:00 - Álvaro Dias e Amoedo largam na frente arrecadação por vaquinha virtual

08:38 - Após baixa de 105 processos, STF volta a discutir foro privilegiado

Sexta, 18 de maio de 2018

17:19 - Operador de Dirceu também se entrega em Curitiba

14:59 - Fachin suspende revisão de pensões de filhas de servidores

13:56 - Ex-ministro José Dirceu se entrega à Polícia Federal em Brasília

12:30 - PF pede que Lewandowski decida se mantém no STF inquérito de Aécio