WhatsApp Twuitter

Sexta, 14 de setembro de 2018, 18h36

Pedido de vista de Lewandowski retira recurso de Lula do plenário virtual


O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF) pediu vista (mais tempo para análise) do julgamento de um recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para reverter a decisão do STF que, em abril deste ano, negou liberdade ao petista. A análise do caso, que acontecia no plenário virtual, já contava com sete votos contrários ao recurso de Lula. O pedido de vista de Lewandowski retira o processo do segmento virtual e agora ele será analisado presencialmente pelos ministros.

Segundo resolução que normatiza os julgamentos no plenário virtual, ‘não serão julgados em ambiente virtual a lista ou o processo com pedido de destaque ou vista por um ou mais Ministros‘. O texto também detalha que os ministros podem renovar ou modificar seus votos nos julgamentos que saem do virtual para o presencial. Ainda não há data para a análise do processo no plenário pelos 11 ministros.

Na madrugada do dia 5 de abril, por seis votos a cinco, os ministros do STF rejeitaram um pedido preventivo do petista, que foi preso naquela mesma semana, em 7 de abril. Lula cumpre pena por corrupção passiva e lavagem de dinheiro desde então, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR).

O julgamento no plenário virtual não é público e só pode ser acompanhado em tempo real pelos próprios gabinetes do STF. Segundo apurou o Broadcast Político, já tinham votado contra o recurso de Lula os ministros Edson Fachin, Cármen Lúcia, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Gilmar Mendes.

Até então, o ministro Marco Aurélio Mello tinha sido o único a divergir do relator, Fachin, e votar a favor do petista. Em sua posição, o ministro aproveitou para cobrar, mais uma vez, o julgamento das ações que tratam da prisão após condenação em segunda instância.

No julgamento do habeas corpus do petista, prevaleceu o entendimento que autoriza a execução antecipada da pena, com a qual Marco Aurélio discorda. Depois do voto de Marco Aurélio, Lewandowski, também contrário à prisão após condenação em segunda instância, pediu vista.

O recurso contra a decisão do plenário da Corte foi apresentado ao final de junho, nas vésperas do recesso judiciário. No pedido, a defesa do petista requeria que o processo fosse levado para julgamento no plenário físico ainda em agosto.

Os defensores do ex-presidente afirmam que o STF decidiu pela ‘possibilidade‘ da execução de pena após condenação em segundo grau, não sendo ela ‘automática‘.

Após ser condenado em primeira instância, Lula teve a condenação confirmada em segundo grau neste ano, pelo Tribunal Regional Federal da 4Ð Região (TRF-4), que elevou sua pena no caso do triplex do Guarujá (SP) para 12 anos e um mês.

No plenário virtual, a análise do pedido é feita eletronicamente pelos 11 ministros da Corte. Como o acesso ao ambiente de julgamento é remoto, a apresentação dos votos pode ocorrer a qualquer momento, dentro do prazo. 



// matérias relacionadas

Segunda, 10 de setembro de 2018

16:46 - Lula escreve carta para ser lida hoje, mas anúncio de Haddad fica para amanhã

Domingo, 09 de setembro de 2018

16:34 - Lula pede ao TSE mais prazo para troca de candidato até análise de recurso

Quarta, 05 de setembro de 2018

19:30 - Para Haddad, estratégia de insistir em Lula não prejudica transferência de voto

18:43 - Fachin será relator de novo pedido de Lula ao STF para suspender condenação

14:05 - Não existe má-fé na veiculação de propaganda com Lula, diz advogado do PT

Terça, 04 de setembro de 2018

19:00 - Gleisi e tesoureiro do PT são impedidos de visitar Lula em Curitiba

Segunda, 03 de setembro de 2018

09:47 - Ministro do TSE suspende propaganda do PT com Lula candidato

Sábado, 01 de setembro de 2018

13:30 - Defesa de Lula não deve apresentar recurso contra decisão do TSE no fim de semana

09:05 - No rádio, Lula diz que vai 'reconstruir o País'; Alckmin critica Bolsonaro

00:12 - TSE decide que Lula não pode disputar as eleições para presidente


// leia também

Domingo, 16 de setembro de 2018

15:30 - Contador da família Richa é suspeito de tentar atrapalhar investigações

14:30 - Candidatos novatos à Câmara dos Deputados recebem maiores doações

12:30 - Promotor acusa defesa de Beto Richa (PSDB) de adotar estratégia duvidosa

11:30 - Hashtag #Elasim, de Marina Silva, lidera assuntos mais comentados no Twitter

10:30 - Alckmin critica populismo do PT e de Bolsonaro

09:30 - Crivella vira réu por suposto crime de improbidade administrativa

08:30 - Haddad usou reflexão honesta para fazer proselitismo político, diz Tasso

07:56 - Aliado de Bolsonaro vai à PGR contra defesa de agressor do presidenciável do PSL

07:53 - TSE nega novo pedido de Lula para gravar propaganda eleitoral da prisão

Sábado, 15 de setembro de 2018

16:46 - FHC demora um mês para manifestar apoio a Alckmin, mas erra nome do candidato