WhatsApp Twuitter

Terça, 05 de setembro de 2017, 16h51

operação convescote

Juíza nega retirar tornozeleira de 'laranja' da Faespe

Celly Silva, repórter do GD


A juíza Selma Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, negou suspender o monitoramento por meio de tornozeleira eletrônica de Marcos Moreno Miranda, réu na operação Convescote, que apura fraudes e desvios na Fundação de Apoio ao Ensino Superior Público Estadual (Faespe). 

João Vieira

Juíza Selma Arruda

Ele havia feito o pedido alegando problemas de saúde, mas a magistrada destacou que a conversão da prisão preventiva para prisão domiciliar que concedeu ao réu em junho já “se deu justamente em razão do seu estado de saúde”, quando ela o autorizou a sair de casa para fazer tratamento médico, desde que avisasse com antecedência o setor de monitoramento e fizesse a comprovação perante o Juízo.

Selma Arruda ressaltou ainda que deixar Marcos Miranda em casa e sem nenhum tipo de controle seria temerário e que nenhuma novidade ocorreu no processo para que a decisão anterior fosse alterada.
“Assim, o Monitoramento Eletrônico se justifica em razão da necessidade de verificar se o recolhimento em domicílio está sendo devidamente cumprido pelo acusado. Ora, deixá-lo preso em domicílio, sem qualquer tipo de vigilância seria por demais temerário. Ademais, nenhum fato novo veio aos autos, de forma que, reportando-me integralmente aos termos da decisão anterior, inclusive no que tange aos seus fundamentos, INDEFIRO o requerimento formulado pela defesa de MARCOS MORENO MIRANDA”, registrou Selma.

Autorização para cuidar da mãe doente

A decisão foi publicada no Diário de Justiça desta terça-feira (5). Além desta, Selma Arruda também proferiu outra decisão referente a José Carias da Silva Neto, também réu apontado como “laranja” que teve contas de empresa fantasma utilizada por uma organização criminosa para desviar e lavar dinheiro da Faespe.

Leia também - Juíza libera preso para cuidar da mãe doente

No início de julho, ele também teve a prisão preventiva convertida em domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica para poder cuidar da mãe doente. Em nova decisão, a juíza Selma Arruda autorizou que ele possa sair de casa às segundas, quartas e sextas-feiras, das 13h30 às 15h30 para acompanhar a mãe até uma clínica localizada no centro de Cuiabá. A juíza também reforçou que sempre que precisar se deslocar para essa finalidade, deverá comunicar a central de monitoramento com antecedência e, posteriormente, comprovar ao Juízo a atividade.



// matérias relacionadas

Sexta, 15 de setembro de 2017

17:39 - Policial do Gaeco é preso por vazar informações da Operação Convescote

Quarta, 13 de setembro de 2017

09:54 - Frentista 'laranja' em fraude da Faespe se livra de tornozeleira

Segunda, 11 de setembro de 2017

12:10 - Sakamoto manda soltar o 2 últimos presos por fraudes milionárias

Quarta, 06 de setembro de 2017

15:28 - TJ manda soltar servidor do TCE considerado líder de esquema na Faespe

Terça, 05 de setembro de 2017

08:25 - Delator emitiu nota para universidade do Rio de Janeiro

Quarta, 23 de agosto de 2017

18:20 - Pai e filho réus demonstram 'alto grau de periculosidade', diz juíza

Segunda, 21 de agosto de 2017

11:35 - Delator emitiu R$ 450 mil em notas frias para a AL

Sexta, 18 de agosto de 2017

20:51 - Diretor da Faespe é demitido por reitora

Quinta, 17 de agosto de 2017

11:04 - Funcionário da Faespe faz delação e deixa cadeia

Terça, 01 de agosto de 2017

10:25 - Líder de esquema recebia 75% de valores pagos via Faespe


// leia também

Quinta, 21 de setembro de 2017

08:59 - Justiça acata pedido do MPE e decreta indisponibilidade de bens de ex-prefeito

08:20 - Curvo diz que não há animosidade com Tribunal de Justiça

Quarta, 20 de setembro de 2017

19:36 - OAB-MT propõe criação de varas especiais para idosos

14:11 - Arcanjo chega à Justiça sob escolta de policiais federais

11:31 - Riva desiste de habeas corpus e reforça tese de que fez delação premiada

09:35 - João Arcanjo deixa PCE para depor contra Eliene na Justiça Federal

08:30 - MP pede bloqueio de bens de 3 deputados para ressarcimento de R$ 9,5 milhões

Terça, 19 de setembro de 2017

19:41 - MP pede que juíza anule delação de advogado que 'blindou' deputado

16:15 - Antônio Joaquim recorre ao STF contra afastamento do cargo

12:23 - Ministro diz que deputado Gilmar Fabris fugiu da PF usando pijama; defesa quer liberdade