WhatsApp Twuitter

Quarta, 06 de setembro de 2017, 16h40

Grampos ilegais

Secretário é interrogado por 6 horas após suspeita de atrapalhar investigação

Karine Miranda, repórter do GD


O secretário de Segurança Pública, Rogers Jarbas, foi interrogado por aproximadamente seis horas, na manhã desta quarta-feira (6), no inquérito conduzido pelo Tribunal de Justiça (TJ) que apura o esquema de escutas clandestinas operado por um núcleo da Polícia Militar.

O interrogatório foi feito pela delegada da Polícia Civil, Ana Cristina Feldner, responsável por comandar a investigação. A decisão de investigar o secretário foi do desembargador do TJ, Orlando de Almeida Perri, que atendeu a representação do promotor de Justiça, Mauro Zaque, que denunciou o esquema dos grampos ilegais.

Chico Ferreira

Jarbas prestou depoimento por seis horas

Leia mais - Perri determina investigação contra secretário Jarbas

No interrogatório, Jarbas teve de se explicar sobre a suspeita de que teria tentado atrapalhar e intimidar as equipes envolvidas na investigação de Feldner na apuração do caso dos grampos.

Isto porque, antes mesmo da instauração de qualquer procedimento, administrativo ou criminal, o secretário resolveu convocar a delegada Alana Cardoso para prestar esclarecimentos, em maio deste ano.

Alana foi a responsável pela condução da ‘Operação Forti’, supostamente utilizada como pretexto para a inclusão de números na interceptação telefônica através da modalidade “barriga de aluguel”, que teve como alvo a ex-amante do ex- secretário Paulo Taques, Tatiane Sangalli, interceptada a pedido do próprio Taques.

O intuito das perguntas feitas por Jarbas a Alana seria o de investigar, por via oblíqua, a participação e a conduta do promotor Mauro Zaque, de modo a encontrar indícios para desqualificar a denúncia que ele fez à Procuradoria Geral da República sobre a existência dos grampos ilegais.

Além disso, Jarbas teria tentado intimidar os envolvidos na investigação. Isto porque ele determinou que a Polícia Civil repassasse uma cópia de uma investigação sigilosa ao ex-secretário Paulo Taques, bem como permitiu que o governador Pedro Taques tivesse acesso a tudo que as investigações vinham apurando.



// matérias relacionadas

Quinta, 21 de junho de 2018

18:05 - Restrição de foro traz dúvidas sobre os grampos

13:30 - Taques diz ser favorável à restrição de foro a governadores

12:30 - Veja como foi a entrevista do governador Pedro Taques na TV Vila Real

10:32 - Bancada do PSD vai ao Palácio, desconversa sobre eleições e trata sobre FEEF

Quarta, 20 de junho de 2018

17:00 - Taques debocha de Silval Barbosa ao apontar 'avião símbolo de quadrilha'

13:35 - Governador diz confiar no Judiciário e não comenta prisão de Paulo Taques

Terça, 19 de junho de 2018

17:47 - Grupo internacional deve investir R$ 18 milhões em Mato Grosso

16:28 - Taques diz que não teme que fundo não seja aprovado no 1º semestre

Sexta, 15 de junho de 2018

13:14 - Governo destinará 20% do Fundo da Saúde aos hospitais filantrópicos

12:26 - Ciro Rodolpho deixa Controladoria e assume a Casa Civil


// leia também

Sábado, 23 de junho de 2018

08:20 - Ex-deputado nega propina, mas fica calado para explicar dinheiro em pasta

Sexta, 22 de junho de 2018

16:52 - Família de servidor dado como 'morto' se revolta e quer processar o MP

16:25 - Pressionados, procuradores ingressam com 4º pedido por liberdade de Savi

12:00 - Após anunciar desistência, conselheiro tenta liberar aposentadoria

10:55 - Ministério Público investiga pagamentos a servidor morto há 28 anos

07:35 - Índias suspeitas de enterrar bebê vivo vão usar tornozeleiras

Quinta, 21 de junho de 2018

10:18 - STJ nega liberdade a empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré

07:14 - Juiz da 7ª Vara fica com ação contra Maggi por compra de vaga no TCE

Quarta, 20 de junho de 2018

18:14 - TJ nega liberdade a acusado de desviar R$ 23 milhões de cooperativa

16:55 - Eder Moraes tacha delação de Silval como 'sorrateira' e forjada com aliado