WhatsApp Twuitter

Quinta, 07 de setembro de 2017, 20h20

da prefeitura para câmara

Justiça anula repasse de R$ 6,7 milhões de Pinheiro a vereadores

Keka Werneck, redação do GD


Chico Ferreira

Pinheiro é acusado de ter 'agraciado' vereadores

Juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Popular de Cuiabá, atendeu à petição impetrada pelo advogado Valfran Miguel dos Anjos, contra o prefeito da capital Emanuel Pinheiro (PMDB) e o Município, e anulou o repasse de R$ 6,7 milhões, que o gestor havia feito à Câmara de Vereadores, no “calor” dos dias em que apareceu em rede nacional colocando dinheiro de suposta propina nos bolsos do paletó.

O repasse, na visão do advogado, foi uma forma de impedir que os vereadores tomassem qualquer decisão no sentido de afastar Pinheiro do cargo, até que se apurasse o escândalo.

As imagens foram feitas pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e anexadas à dita “delação monstruosa” homologada junto ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Na ação, o advogado ressalta que o prefeito foi visto “enchendo os bolsos de dinheiro” e que só houveram algumas “tímidas reações” na Câmara em prol da abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para avaliar a conduta de Pinheiro.

Reprodução

Imagens são comprometedoras

Diz ainda que “a maioria dos edis teria sido cooptada, quiçá, pecuniariamente, e rejeitou a instauração da CPI. Logo em seguida, a Câmara de Vereadores foi agraciada com uma generosa suplementação orçamentária, na ordem de R$ 6.725.075,95, em que pese a severa escassez financeira por que passa o nosso Município, refletida nas áreas da educação, da saúde, da segurança, dos transportes, das ruas esburacadas etc”.

A decisão do juiz Bertolucci é desta quarta-feira (6). O magistrado determinou a imediata suspensão dos efeitos do decreto do prefeito Emanuel Pinheiro nº6.343 de 30 de agosto de 2017 publicado no dia 31 de agosto no Diário Oficial de Contas do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT). Desde já, arbitrou multa diária no valor de R$ 500 mil em caso de descumprimento da decisão. Determinou que seja intimado o prefeito Emanuel Pinheiro e o município de Cuiabá para o imediato cumprimento da ordem judicial. A Procuradoria-Geral do Município terá prazo de 20 dias para contestar a a pretensão do autor da ação popular. 

Outro lado

O secretário de Comunicação de Cuiabá, José Roberto Amador, questionado sobre a ação do advogado e a decisão do magistrado, afirma que o repasse à Câmara não tem qualquer nexo com o escândalo da propina no paletó.

“O cálculo do reajuste duodécimo da Câmara é regido pela Constituição e é de 4,5% das receitas tributárias auferidas ano anterior. Quando foram votar lei orçamentária este ano, aprovaram o valor de 42 milhões sendo que no ano passado já tinha sido este mesmo valor e sabiam que seria necessária a suplementação de agora e foi isso que aconteceu”, explica.

O secretário ressalta ainda que o presidente da Casa, Justino Malheiros (PV), solicitou o repasse da complementação no dia 16 de agosto deste ano e o prefeito atendeu.

Quanto ao fato do advogado ter defendido na ação que o dinheiro foi retirado de pastas sociais, como saúde e educação, o secretário afirma que já estava previsto para ser devolvido a partir de setembro. “A gente não seria louco de tirar dinheiro de criancinha para passar para Câmara”, assegura.

Sobre a possibilidade de ter feito o repasse mediante as dificuldades do município, ele argumenta que o prefeito “fez economia” no primeiro semestre e sabia que ia sobrar dinheiro neste segundo semestre e que se não repasse o valor à Câmara ela “pararia”.



// matérias relacionadas

Terça, 07 de novembro de 2017

15:21 - Comissão vai revisar 6 mil leis e excluir as inúteis

Segunda, 06 de novembro de 2017

17:45 - Renivaldo diz que assina CPI porque 'já está cansado'

Terça, 31 de outubro de 2017

15:55 - Juiz mantém cassação de 2 vereadores por fraude na cota de mulheres

Sexta, 27 de outubro de 2017

09:19 - Presidente da Câmara diz que antecessor aprovou duodécimo insuficiente

Terça, 24 de outubro de 2017

12:02 - Após demissões, Câmara de Cuiabá cria comissão para revisar salários

11:25 - Sessões em um único dia poupam tempo e evitam ladainhas, diz Renivaldo

Sábado, 21 de outubro de 2017

08:00 - Câmara de Cuiabá aprova lei para arquivar multas de trânsito

Sexta, 20 de outubro de 2017

18:23 - Câmara recontrata grávidas e mais 3 demitidos

Quinta, 19 de outubro de 2017

18:35 - Prefeito libera R$ 3,3 milhões em suplementação à Câmara

18:34 - Câmara de Cuiabá passa a realizar 2 sessões em apenas 1 dia da semana


// leia também

Terça, 21 de novembro de 2017

19:35 - Justiça manda periciar laudo sobre compra de mineradora por Mauro Mendes

16:27 - Justiça bloqueia R$ 340 mil em bens de presidente do Sindicato Rural

14:21 - Riva tentou lucrar R$ 4 milhões com vaga no TCE, revela Nadaf

13:05 - Procuradoria quer cassação de vereador e do suplente de deputado Jajah

Segunda, 20 de novembro de 2017

12:28 - Marcada audiência em processo contra Wilson Santos por superfaturamento

Domingo, 19 de novembro de 2017

13:13 - Assaí terá que pagar R$ 10 mil em multa por cada funcionário assediado

08:55 - Juíza concede mais 10 dias de prazo aos réus por fraudes na Seduc

Sábado, 18 de novembro de 2017

08:00 - Delação de Pedro Nadaf cita aliados de Silval, de Taques e deputados

Sexta, 17 de novembro de 2017

16:27 - Ministro nega liberdade a acusado de fraudar processo da morte de juiz

14:33 - Justiça condena 4 ex-servidores da Sefaz envolvidos na 'máfia do fisco'