WhatsApp Twuitter

Quinta, 07 de setembro de 2017, 20h20

da prefeitura para câmara

Justiça anula repasse de R$ 6,7 milhões de Pinheiro a vereadores

Keka Werneck, redação do GD


Chico Ferreira

Pinheiro é acusado de ter 'agraciado' vereadores

Juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Popular de Cuiabá, atendeu à petição impetrada pelo advogado Valfran Miguel dos Anjos, contra o prefeito da capital Emanuel Pinheiro (PMDB) e o Município, e anulou o repasse de R$ 6,7 milhões, que o gestor havia feito à Câmara de Vereadores, no “calor” dos dias em que apareceu em rede nacional colocando dinheiro de suposta propina nos bolsos do paletó.

O repasse, na visão do advogado, foi uma forma de impedir que os vereadores tomassem qualquer decisão no sentido de afastar Pinheiro do cargo, até que se apurasse o escândalo.

As imagens foram feitas pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e anexadas à dita “delação monstruosa” homologada junto ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Na ação, o advogado ressalta que o prefeito foi visto “enchendo os bolsos de dinheiro” e que só houveram algumas “tímidas reações” na Câmara em prol da abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para avaliar a conduta de Pinheiro.

Reprodução

Imagens são comprometedoras

Diz ainda que “a maioria dos edis teria sido cooptada, quiçá, pecuniariamente, e rejeitou a instauração da CPI. Logo em seguida, a Câmara de Vereadores foi agraciada com uma generosa suplementação orçamentária, na ordem de R$ 6.725.075,95, em que pese a severa escassez financeira por que passa o nosso Município, refletida nas áreas da educação, da saúde, da segurança, dos transportes, das ruas esburacadas etc”.

A decisão do juiz Bertolucci é desta quarta-feira (6). O magistrado determinou a imediata suspensão dos efeitos do decreto do prefeito Emanuel Pinheiro nº6.343 de 30 de agosto de 2017 publicado no dia 31 de agosto no Diário Oficial de Contas do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT). Desde já, arbitrou multa diária no valor de R$ 500 mil em caso de descumprimento da decisão. Determinou que seja intimado o prefeito Emanuel Pinheiro e o município de Cuiabá para o imediato cumprimento da ordem judicial. A Procuradoria-Geral do Município terá prazo de 20 dias para contestar a a pretensão do autor da ação popular. 

Outro lado

O secretário de Comunicação de Cuiabá, José Roberto Amador, questionado sobre a ação do advogado e a decisão do magistrado, afirma que o repasse à Câmara não tem qualquer nexo com o escândalo da propina no paletó.

“O cálculo do reajuste duodécimo da Câmara é regido pela Constituição e é de 4,5% das receitas tributárias auferidas ano anterior. Quando foram votar lei orçamentária este ano, aprovaram o valor de 42 milhões sendo que no ano passado já tinha sido este mesmo valor e sabiam que seria necessária a suplementação de agora e foi isso que aconteceu”, explica.

O secretário ressalta ainda que o presidente da Casa, Justino Malheiros (PV), solicitou o repasse da complementação no dia 16 de agosto deste ano e o prefeito atendeu.

Quanto ao fato do advogado ter defendido na ação que o dinheiro foi retirado de pastas sociais, como saúde e educação, o secretário afirma que já estava previsto para ser devolvido a partir de setembro. “A gente não seria louco de tirar dinheiro de criancinha para passar para Câmara”, assegura.

Sobre a possibilidade de ter feito o repasse mediante as dificuldades do município, ele argumenta que o prefeito “fez economia” no primeiro semestre e sabia que ia sobrar dinheiro neste segundo semestre e que se não repasse o valor à Câmara ela “pararia”.



// matérias relacionadas

Segunda, 12 de fevereiro de 2018

11:25 - Vereadores aprovam vale alimentação aos servidores

Quinta, 01 de fevereiro de 2018

12:58 - Com CPI do Paletó, Câmara de Cuiabá volta à ativa

Terça, 16 de janeiro de 2018

17:54 - Justino nomeia mais 54 servidores comissionados

Domingo, 14 de janeiro de 2018

08:30 - Mesa Diretora defende servidores externos e garante que 'não são fantasmas'

Sexta, 05 de janeiro de 2018

11:58 - Câmara de Cuiabá volta contratar comissionados

10:22 - Líder assinala julgamento tranquilo das contas de Mauro Mendes

Segunda, 01 de janeiro de 2018

09:48 - Presidente da Câmara de Cuiabá descarta crise financeira

Quarta, 27 de dezembro de 2017

16:03 - Em represália, vereadores rejeitam emendas de Wellaton

10:02 - Câmara de Cuiabá aprova orçamento de R$ 2,2 bilhões para 2018

Terça, 26 de dezembro de 2017

11:49 - Vereadores reduzem 50 cargos na Câmara de Cuiabá


// leia também

Domingo, 18 de fevereiro de 2018

11:42 - No STF, deputado que teve pai assassinado contesta decisão que inocentou réu

Sábado, 17 de fevereiro de 2018

16:05 - Ministro volta negar pedido de Emanuel Pinheiro para invalidar delação de Silval

10:54 - PF acredita em 'sumiço' de notas falsas e quer prorrogação de inquérito

08:30 - Pai do coronel Novacki aguarda sentença e pode prejudicar nomeação ao Mapa

Sexta, 16 de fevereiro de 2018

21:07 - Procurador de Juara assume 'erro', promete devolver dinheiro e isenta prefeita

18:51 - Justiça suspende eleição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de VG

15:58 - MPE propõe ação contra prefeita e procurador-geral de Juara

15:36 - Prefeito de Colniza denunciou que recebia ameaças de vereador antes de morrer

13:01 - Eder Moraes é condenado pela terceira vez em ação da Ararath

12:28 - Juíza intima réus por esquema na Assembleia a se manifestarem em 10 dias