WhatsApp Twuitter

Sexta, 08 de setembro de 2017, 08h53

Taques pede que MP afaste Mauro Zaque da investigação dos grampos

Celly Silva, repórter do GD


O governador Pedro Taques (PSDB) apresentou ao procurador-geral de Justiça Mauro Curvo um pedido para que o promotor Mauro Zaque fique impedido de atuar em investigação, processar e se manifestar em qualquer processo relacionado aos grampos telefônicos ilegais, em que Taques foi denunciado à Procuradoria Geral da República (PGR) por Zaque.

Em sua justificativa, Pedro Taques afirma que depois que saiu do cargo de secretário de Estado de Segurança Pública, no final de 2015, Zaque passou a demonstrar “escancarada animosidade” contra o governador. 


Promotor e governador vivem em 'pé de guerra' desde que surgiu denúncia

“Tendo em vista que o Excelentíssimo Promotor de Justiça MAURO ZAQUE DE JESUS atuou como Secretário de Estado do governo estadual vigente e, ainda, depois de sua saída/exoneração e de alguns fatos notórios, passou a nutrir e demonstrar escancarada animosidade para com o Requerente por intermédio de atos diretos ou indiretos - por meio da sua equipe de governo”, diz trecho do requerimento.

O chefe de Estado destacou que o fato do Supremo Tribunal Federal (STF) ter declarado, em março de 2016, inconstitucional que membros do Ministério Público ocupassem cargos no Poder Executivo, também torna inconstitucional que Mauro Zaque atue em casos que envolvam o governador ou seus secretários como parte.

Taques lembrou ainda que o promotor havia se declarado suspeito para atuar no processo que envolveu a empresa Consignum em suspeita de fraudes e pagamentos de propina ao governo e apontou incoerência no fato dele não fazer isso no caso dos grampos.

“Enfim, subitamente, o promotor excepto passou a se ‘sentir confortável’ em investigar atos do atual governo, embora ainda permaneça a causa objetiva de impedimento (ele participou do primeiro escalão do governo) e, agora, reforçada pela notória animosidade pública entre os dois, conforme será esgrimido no item seguinte desta peça”, registrou.

Grampolândia

A denúncia sobre as interceptações telefônicas ilegais surgiu em maio deste ano, quando Mauro Zaque relatou que encaminhou um ofício ao governador informando a existência da central de escutas telefônicas clandestina com a participação de membros do Executivo, conforme constava numa denúncia anônima que ele tinha recebido. Por sua vez o governador alegou que pediu ao então secretário que registrasse tudo no papel.

Taques argumentou que enquanto governador não tinha atribuições para investigar qualquer pessoa e por existir no ofício, em tese, fatos ilícitos atribuídos a policiais militares também não poderia mandar para a Polícia Militar investigar. Na época, o governador também acusou o promotor de ter fraudado o protocolo em que teria sido registrada a denúncia.



// matérias relacionadas

Sexta, 17 de novembro de 2017

16:11 - Governo cancela reunião e sindicalistas sinalizam greve geral

12:05 - TJ manda Estado incorporar perdas da URV aos salários de investigadores

Terça, 14 de novembro de 2017

15:17 - Governo paga servidores que recebem até R$ 14,1 mil brutos nesta terça-feira

Segunda, 13 de novembro de 2017

12:45 - Fávaro publica decreto que corta 30% nos gastos e veta concursos

Domingo, 12 de novembro de 2017

13:04 - Importadores chineses conhecem a qualidade da carne mato-grossense

Sexta, 10 de novembro de 2017

19:30 - Após ameaças, prefeitos recuam de pedir afastamento do governador de MT

16:20 - Luiz Soares não será demitido da Saúde, afirma chefe da Casa Civil

15:26 - Governo diz que paga 88% dos servidores nesta sexta-feira

15:10 - Russi desqualifica ato da AMM e aponta 'interesses politiqueiros'

09:29 - Secretário confirma escalonamento; quem ganha até R$ 5 mil recebe no prazo


// leia também

Domingo, 19 de novembro de 2017

08:55 - Juíza concede mais 10 dias de prazo para defesas da Rêmora

Sábado, 18 de novembro de 2017

08:00 - Delação de Pedro Nadaf cita aliados de Silval, de Taques e deputados

Sexta, 17 de novembro de 2017

16:27 - Ministro nega liberdade a acusado de fraudar processo da morte de juiz

14:33 - Justiça condena 4 ex-servidores da Sefaz envolvidos na 'máfia do fisco'

10:34 - Maior parte da delação sigilosa de Nadaf está na 7ª Vara Criminal

Quinta, 16 de novembro de 2017

18:26 - Cerca de 2 mil advogados de MT podem ser suspensos por inadimplência junto à OAB

16:33 - TJ não obriga Pedro Taques aposentar Antonio Joaquim do TCE

15:50 - TJ nega recurso do MPE e não afasta prefeita e deputado em MT

15:35 - Arnaldo Alves e Chico Lima tiveram sigilos telefônicos quebrados

14:04 - Desapropriação no Manso alimentou propina a conselheiros, diz Nadaf