WhatsApp Twuitter

Sexta, 08 de setembro de 2017, 11h51

Juiz não afasta prefeito de Cuiabá flagrado em vídeo recebendo 'mensalinho'

Celly Silva, repórter do GD


O juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior, da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular, negou o pedido liminar formulado pelo vereador Felipe Wellaton (PV) para afastar o prefeito emanuel Pinheiro (PMDB) do cargo. A decisão foi proferida na última quarta-feira (6).

Na ação, o parlamentar destacou a delação premiada do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), em que Emanuel Pinheiro é citado e, inclusive, foi gravado enchendo os bolsos com maços de dinheiro recebidos de Sílvio Cézar Corrêa Araújo, ex-chefe de gabinete do governo, dentro do Palácio Paiaguás, na época em que era deputado estadual. 

Chico Ferreira

Prefeito Emanuel Pinheiro

Wellaton também usou como argumento o fato do prefeito ter suplementado em R$ 6,7 milhões, por meio de decreto, o orçamento da Câmara Municipal dois dias após um pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra ele ter sido barrado pela maioria dos vereadores, o que para o vereador, ocorreu como forma de “enfrentar as graves denúncias que protagoniza no exercício do seu mandato, sem se tornar objeto de instrumentos de cassação provenientes da Câmara Municipal de Cuiabá”.

O parlamentar registrou ainda que a suplementação do orçamento legislativo ocorreu de forma ilegal, além de imoral, e pediu a suspensão do decreto.

“... como se não bastasse a imoral suplementação orçamentária em favor da Câmara Municipal, o Prefeito Municipal o fez de forma ilegal. Isso porque, conforme consta do Decreto nº 6.343/2017, para proceder em tal aumento orçamentário em favor do Poder Legislativo, o Prefeito teve de anular diversas dotações orçamentárias, ainda que parcialmente” (SIC).

Em sua decisão, Bortolussi deixou de analisar o pedido de suspensão do repasse milionário por já ter anulado o decreto em outra ação impetrada por um advogado, conforme já divulgado pelo Gazeta Digital.

Leia também - Justiça anula repasse de R$ 6,7 milhões de Pinheiro a vereadores

TJ/MT

Juiz Luís Aparecido Bortolussi

Com relação ao pedido de afastamento do prefeito, o juiz entendeu que não ficou demonstrado motivo para concessão da liminar deferindo o afastamento do prefeito. “Em que pese à gravidade dos fatos noticiados pelo Autor, ao menos até este momento, não há nos autos elementos que justifiquem o afastamento do réu Emanuel Pinheiro do cargo de Prefeito de Cuiabá”, destacou.

O magistrado explicou que o afastamento é uma medida que deve ocorrer em caso de suspeita de interferência do acusado na produção de provas que levem à verdade dos fatos, o que não ocorreu, conforme registrou. “Verifica-se da documentação acostada que, até o momento, não há indícios de que o Réu Emanuel Pinheiro, mediante atuação dolosa, esteja obstaculizando a produção dos elementos necessários à formação do convencimento jurisdicional”.

Bortolussi ainda enfatizou que afastar o prefeito do cargo seria contrariar o resultado da eleição de forma enviesada. “Assim, o afastamento deverá ser indeferido, caso contrário, implicaria na cassação da vontade popular por via oblíqua”.



// matérias relacionadas

Quarta, 28 de fevereiro de 2018

16:09 - TCE alerta Emanuel por extrapolar limite de despesa com pessoal

Quinta, 28 de dezembro de 2017

14:15 - Semob aplica 370 mil multas em 2017; excesso de velocidade lidera infrações

06:40 - IPTU de Cuiabá fica 2,7% mais caro em 2018

Domingo, 24 de dezembro de 2017

08:54 - Emanuel Pinheiro não descarta mudanças em staff para o próximo ano

Segunda, 18 de dezembro de 2017

14:44 - Servidores da Capital recebem 13º nesta terça-feira e salário dia 28

Segunda, 11 de dezembro de 2017

11:56 - Cuiabá é a 6ª capital brasileira mais endividada

Domingo, 10 de dezembro de 2017

16:57 - Famílias cuiabanas recebem 'Natal Iluminado' com show de luzes e muita emoção

16:41 - Cuiabá sobe 10 posições em ranking de geração de empreendimentos

Terça, 05 de dezembro de 2017

12:34 - Prefeito de Cuiabá garante que SEC 300 ficará melhor com mudanças

09:34 - Para corrigir irregularidades, prefeito terá que extinguir e recriar a SEC 300


// leia também

Sábado, 23 de junho de 2018

08:20 - Ex-deputado nega propina, mas fica calado para explicar dinheiro em pasta

Sexta, 22 de junho de 2018

16:52 - Família de servidor dado como 'morto' se revolta e quer processar o MP

16:25 - Pressionados, procuradores ingressam com 4º pedido por liberdade de Savi

12:00 - Após anunciar desistência, conselheiro tenta liberar aposentadoria

10:55 - Ministério Público investiga pagamentos a servidor morto há 28 anos

07:35 - Índias suspeitas de enterrar bebê vivo vão usar tornozeleiras

Quinta, 21 de junho de 2018

10:18 - STJ nega liberdade a empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré

07:14 - Juiz da 7ª Vara fica com ação contra Maggi por compra de vaga no TCE

Quarta, 20 de junho de 2018

18:14 - TJ nega liberdade a acusado de desviar R$ 23 milhões de cooperativa

16:55 - Eder Moraes tacha delação de Silval como 'sorrateira' e forjada com aliado