WhatsApp Twuitter

Quarta, 13 de setembro de 2017, 15h58

candidatos laranjas

Justiça eleitoral cassa mandato do vereador Marcrean Santos

Celly Silva, repórter do GD


Atualizada às 16h29 - O juiz Gonçalo Antunes de Barros Neto, da 55ª Zona Eleitoral, cassou o diploma e o mandato do candidato eleito a vereador Marcrean Santos (PRTB) e dos suplentes dele, vinculados à coligação Dante de Oliveira, que concorreu na eleição de 2016, declarando nulos os votos a eles destinados, que, com a decisão, devem ser distribuídos para os demais partidos que alcançaram o quociente partidário naquele pleito. A decisão foi proferida na terça-feira (12). 

João Vieira

Marcrean Santos

Na sentença, Marcrean também foi declarado inelegível pelo período de 8 anos a contar a partir de 2016, juntamente com Elton dos Santos Araújo, Afonso Rodrigues de Melo, Mário Teixeira Santos da Silva, Edisantos Santana Ferreira de Amorim, Sebastião Lázaro Rodrigues Carneiro, Ronald Kemmp Santim Borges, Odenil Benedito da Silva Júnior, Antônio Carlos Máximo e Marineth Benedita Santana Corrêa.

Essas pessoas, conforme o processo, teriam fraudado o preenchimento dos registros de candidatura para atingir o percentual mínimo de gênero, configurando candidaturas fictícias. Além deles, outras 23 pessoas também foram denunciadas na ação pelo Ministério Público Eleitoral.

"Nasceu, assim, nesta quadra processual, o preenchimento de vaga da cota/gênero de forma a tornar possível a participação partidária no pleito eleitoral, mas sem que, com isso, se tenha efetivo compromisso com a eleição das respectivas candidaturas", diz trecho da decisão.

Em relação a isso, Marcrean Santos e outros réus argumentaram que são ilegítimos para figurar como réus, uma vez que não há nos autos indicação de que tenham contribuído para prática da suposta fraude. Mas a alegação não foi aceita pelo juiz, que explicou que "não é necessária a participação direta dos representados nos atos tidos por abusivos". Segundo Gonçalo Antunes, "basta a conexão entre a fraude e o benefício percebido para a legitimidade passiva restar caracterizada".

A sentença também determina que cópias dos autos serão remetidos ao Ministério Público Eleitoral para, caso julgue necessário, ajuizar ações de improbidade administrativa ou criminais contra os réus.

Além disso, o magistrado determinou que cópias do processo também sejam encaminhadas à 39ª zona Eleitoral para que expeça novos diplomas aos eleitos e respectivos suplentes.



// matérias relacionadas

Quarta, 18 de abril de 2018

09:25 - TCE recomenda suspensão do 13° salário para vereadores de Cuiabá

Sábado, 31 de março de 2018

07:30 - TCE notifica Justino Malheiros para explicar 13º aos vereadores de Cuiabá

Quinta, 22 de março de 2018

09:37 - Vereadores poderão assumir na AL e Congresso

Terça, 20 de março de 2018

13:19 - Renivaldo bate boca com Wellaton e faz ameaças

Quinta, 01 de março de 2018

13:30 - Vereadores barraqueiros chamam para briga lá fora

Segunda, 12 de fevereiro de 2018

11:25 - Vereadores aprovam vale alimentação aos servidores

Quinta, 01 de fevereiro de 2018

12:58 - Com CPI do Paletó, Câmara de Cuiabá volta à ativa

Terça, 16 de janeiro de 2018

17:54 - Justino nomeia mais 54 servidores comissionados

Domingo, 14 de janeiro de 2018

08:30 - Mesa Diretora defende servidores externos e garante que 'não são fantasmas'

Sexta, 05 de janeiro de 2018

11:58 - Câmara de Cuiabá volta contratar comissionados


// leia também

Sexta, 20 de abril de 2018

12:13 - Empresário Zezo Malouf é alvo de penhora de R$ 3,6 milhões - veja fac-símile

11:15 - Wilson Santos é condenado em R$ 12 milhões e perda direitos políticos

11:00 - Investigações do Gaeco avançam em outros contratos no Detran

08:31 - Mauro Mendes sofre bloqueio de R$ 300 mil em ação por fraude em leilão

08:01 - Cidinho quer testemunha do Maranhão em ação por desvio de rendas públicas

07:43 - STF desmembra processo de Henry na Lava Jato por crimes de R$ 29 bilhões

Quinta, 19 de abril de 2018

16:39 - Funcionários decidem continuar trabalhando no Hospital Jardim Cuiabá

15:36 - Faixa informa fim do atendimento no Hospital Jardim Cuiabá

11:39 - Ex-secretário réu por desvios na Seduc ganha autorização para viajar

11:38 - Nova administradora do Hospital Jardim Cuiabá não apresenta alvará sanitário