WhatsApp Twuitter

Quarta, 13 de setembro de 2017, 19h00

Política de MT

TJ tem 6 investigações contra magistrado, militares e membros do MP por grampos

Karine Miranda, repórter do GD


Seis inquéritos instaurados este ano para apurar o esquema de escutas ilegais operado no âmbito da Polícia Militar de tramitam no Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). A suspeita é de que militares, civis, membros do Ministério Público e até magistrados tenham feito parte do esquema ilegal.

A informação foi prestada pelo desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Orlando de Almeida Perri, ao ministro Ribeiro Dantas, do Superior Tribunal de Justiça (STJ) no despacho do habeas corpus impetrado pelo ex-chefe da Casa Civil, Paulo Taques que também é investigado sob suspeita de participação nas escutas ilegais.

Josi Pettengill

Seis investigações abertas pelo TJ para apurar grampos

No documento, Perri informa sobre a existência dos inquéritos para apurar a participação de membros do Ministério Público Estadual (Inquérito Policial n. 63349/2017) e de magistrado (Inquérito Policial n. 71814/2017), crimes militares (Inquérito Policial Militar n. 66673/2017) e crimes comuns praticados por militares (Inquérito Policial n. 87132/2017).

Além desses, tem ainda os inquéritos para apurar crimes de interceptação telefônica ilegal e denunciação caluniosa praticados supostamente por Paulo Taques (Inquérito Policial n. 78323/2017) e para apurar escutas clandestinas ocorridas em 2016, nas eleições de Lucas do Rio Verde (Inquérito Policial n. 87131/2017).

“Em suma: até o presente momento, tramitam perante este Tribunal nada menos do que seis procedimentos criminais, cuja finalidade é idêntica, a saber, a apuração da prática de crimes de interceptação telefônica ilegal”, disse o magistrado.

As investigações apontam que o esquema teria interceptado dezenas de pessoas, entre políticos, médicos, empresários, jornalistas e um desembargador aposentado. O caso só veio à tona após denúncia do promotor de Justiça Mauro Zaque.

O esquema consistia na interceptação telefônica através da modalidade “barriga de aluguel”, que teve como alvo a ex-amante do ex- secretário Paulo Taques, Tatiane Sangalli, que teria sido interceptada a pedido do próprio Taques. Por este motivo, ele possui um inquérito próprio.

O caso culminou na prisão de ex-secretários e militares. No entanto, permanecem presos somente o ex-comandante-geral da PM, coronel Zaqueu Barbosa, e o cabo da PM, Gerson Luiz Ferreira, este acusado de elaborar relatórios falsos de grampos militares que eram executados por meio da "barriga de aluguel”.

Obstrução da Justiça – Gerson Luiz, inclusive, possui inquérito policial próprio a fim de apurar a prática do crime de obstrução à Justiça. Gerson estava detido no Batalhão de Ronda Ostensiva Tática Móvel (Rotam); porém, diante da denúncia de supostas regalias, o desembargador Perri determinou a transferência dele para o Centro de Custódia de Cuiabá (CCC).



// matérias relacionadas

Quinta, 23 de novembro de 2017

16:06 - Estado é intimado em processo por causa de atraso salarial

13:25 - Ex-chefe da Casa Civil, José Adolpho assume comando do Desenvolve MT

Quarta, 22 de novembro de 2017

11:55 - Ministro abre brecha em decisão e autoriza major a ir na PM

Terça, 21 de novembro de 2017

17:14 - Taques vai a Brasília em busca de R$ 144 milhões

16:55 - Comitiva debater ampliação da malha ferroviária em MT

16:52 - Max e Wilson deixam cargos no governo e reassumem mandatos na AL

10:01 - Governador fala em pagar restante dos servidores ainda nesta terça-feira

Sexta, 17 de novembro de 2017

16:11 - Governo cancela reunião e sindicalistas sinalizam greve geral

12:05 - TJ manda Estado incorporar perdas da URV aos salários de investigadores

Terça, 14 de novembro de 2017

15:17 - Governo paga servidores que recebem até R$ 14,1 mil brutos nesta terça-feira


// leia também

Quinta, 23 de novembro de 2017

17:45 - MPE investiga sobrepreço de R$ 5,1 milhões em obra

15:04 - Viúva de ex-secretário-geral da ALMT é interrogada

14:06 - Juíza ouve policial que vazou dados do Gaeco

11:57 - 'Se deixar ele vende até o Estado', alertou Silval sobre Chico Lima

10:10 - TRT inocenta empresa de acidente que deixou trabalhador com sequelas

09:58 - Fazenda paga R$ 700 mil de multa e juiz destina para entidades de Sapezal

09:37 - MPE denuncia 99 por venda de carteiras de habilitação em MT e Goiás

Quarta, 22 de novembro de 2017

17:30 - Fraude na desapropriação no Renascer foi de R$ 21 milhões, diz Nadaf

15:34 - Juízes vão ao STF contra imunidade para deputados de MT

13:04 - Ministro do STF suspende ação penal contra acusados por venda de sentenças