WhatsApp Twuitter

Quarta, 13 de setembro de 2017, 19h00

Política de MT

TJ tem 6 investigações contra magistrado, militares e membros do MP por grampos

Karine Miranda, repórter do GD


Seis inquéritos instaurados este ano para apurar o esquema de escutas ilegais operado no âmbito da Polícia Militar de tramitam no Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). A suspeita é de que militares, civis, membros do Ministério Público e até magistrados tenham feito parte do esquema ilegal.

A informação foi prestada pelo desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Orlando de Almeida Perri, ao ministro Ribeiro Dantas, do Superior Tribunal de Justiça (STJ) no despacho do habeas corpus impetrado pelo ex-chefe da Casa Civil, Paulo Taques que também é investigado sob suspeita de participação nas escutas ilegais.

Josi Pettengill

Seis investigações abertas pelo TJ para apurar grampos

No documento, Perri informa sobre a existência dos inquéritos para apurar a participação de membros do Ministério Público Estadual (Inquérito Policial n. 63349/2017) e de magistrado (Inquérito Policial n. 71814/2017), crimes militares (Inquérito Policial Militar n. 66673/2017) e crimes comuns praticados por militares (Inquérito Policial n. 87132/2017).

Além desses, tem ainda os inquéritos para apurar crimes de interceptação telefônica ilegal e denunciação caluniosa praticados supostamente por Paulo Taques (Inquérito Policial n. 78323/2017) e para apurar escutas clandestinas ocorridas em 2016, nas eleições de Lucas do Rio Verde (Inquérito Policial n. 87131/2017).

“Em suma: até o presente momento, tramitam perante este Tribunal nada menos do que seis procedimentos criminais, cuja finalidade é idêntica, a saber, a apuração da prática de crimes de interceptação telefônica ilegal”, disse o magistrado.

As investigações apontam que o esquema teria interceptado dezenas de pessoas, entre políticos, médicos, empresários, jornalistas e um desembargador aposentado. O caso só veio à tona após denúncia do promotor de Justiça Mauro Zaque.

O esquema consistia na interceptação telefônica através da modalidade “barriga de aluguel”, que teve como alvo a ex-amante do ex- secretário Paulo Taques, Tatiane Sangalli, que teria sido interceptada a pedido do próprio Taques. Por este motivo, ele possui um inquérito próprio.

O caso culminou na prisão de ex-secretários e militares. No entanto, permanecem presos somente o ex-comandante-geral da PM, coronel Zaqueu Barbosa, e o cabo da PM, Gerson Luiz Ferreira, este acusado de elaborar relatórios falsos de grampos militares que eram executados por meio da "barriga de aluguel”.

Obstrução da Justiça – Gerson Luiz, inclusive, possui inquérito policial próprio a fim de apurar a prática do crime de obstrução à Justiça. Gerson estava detido no Batalhão de Ronda Ostensiva Tática Móvel (Rotam); porém, diante da denúncia de supostas regalias, o desembargador Perri determinou a transferência dele para o Centro de Custódia de Cuiabá (CCC).



// matérias relacionadas

Quinta, 21 de junho de 2018

18:05 - Restrição de foro traz dúvidas sobre os grampos

13:30 - Taques diz ser favorável à restrição de foro a governadores

12:30 - Veja como foi a entrevista do governador Pedro Taques na TV Vila Real

10:32 - Bancada do PSD vai ao Palácio, desconversa sobre eleições e trata sobre FEEF

Quarta, 20 de junho de 2018

17:00 - Taques debocha de Silval Barbosa ao apontar 'avião símbolo de quadrilha'

13:35 - Governador diz confiar no Judiciário e não comenta prisão de Paulo Taques

Terça, 19 de junho de 2018

17:47 - Grupo internacional deve investir R$ 18 milhões em Mato Grosso

16:28 - Taques diz que não teme que fundo não seja aprovado no 1º semestre

Sexta, 15 de junho de 2018

13:14 - Governo destinará 20% do Fundo da Saúde aos hospitais filantrópicos

12:26 - Ciro Rodolpho deixa Controladoria e assume a Casa Civil


// leia também

Sábado, 23 de junho de 2018

08:20 - Ex-deputado nega propina, mas não explica dinheiro que recebeu e guardou em pasta

Sexta, 22 de junho de 2018

16:52 - Família de servidor dado como 'morto' se revolta e quer processar o MP

16:25 - Pressionados, procuradores ingressam com 4º pedido por liberdade de Savi

12:00 - Após anunciar desistência, conselheiro tenta liberar aposentadoria

10:55 - Ministério Público investiga pagamentos a servidor morto há 28 anos

07:35 - Índias suspeitas de enterrar bebê vivo vão usar tornozeleiras

Quinta, 21 de junho de 2018

10:18 - STJ nega liberdade a empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré

07:14 - Juiz da 7ª Vara fica com ação contra Maggi por compra de vaga no TCE

Quarta, 20 de junho de 2018

18:14 - TJ nega liberdade a acusado de desviar R$ 23 milhões de cooperativa

16:55 - Eder Moraes tacha delação de Silval como 'sorrateira' e forjada com aliado