WhatsApp Twuitter

Quinta, 02 de agosto de 2018, 14h42

João Arcanjo diz que não é burro para voltar a cometer crimes - veja vídeo

Arthur Santos e Celly Silva, repórteres do GD


Chico Ferreira

João Arcanjo disse que pode ser tudo, menos bobo ou burro

Atualizada às 16h38 - Ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro, que cumpre prisão domiciliar desde o dia 26 de fevereiro deste ano, voltou ao Fórum de Cuiabá na tarde nesta quinta-feira (2) para participar de uma audiência de justificação. Ele foi alvo de uma denúncia anônima apontando que estaria reunindo capangas para reivindicar a chefia do crime organizado em Cuiabá e por isso foi intimado a dar explicações em juízo.

Na audiência, presidida pelo juiz Geraldo Fernandes Fidélis Neto, Arcanjo negou ser dono da empresa Colibri, cujo nome aparece em anotações apreendidas pela Polícia Civil no mês passado ao desmantelar uma central do jogo do bicho no centro de Cuiabá. "Eu passei 15 anos da minha vida preso, sofrendo, o senhor acha que eu sou bobo? Eu posso ser tudo, menos bobo e burro", disse ele ao promotor de Justiça, Rubens Alves de Paula.

Quando perguntado se era dono da Colibri e havia retornado ao jogo do bicho, João Arcanjo questionou o fato de a denúncia contra ele ter surgido de forma anônima "Está com medo de quê? Pra ele é muito fácil se esconder no anonimato", argumentou.

O promotor Rubens Alves apresentou uma série de nomes, como do ex-policial Manoel, que Arcanjo disse conhecer mas negou ser seu segurança. Citou ainda o nome Alberto, que seria o concorrente de Arcanjo. Por sua vez, o ex-bicheiro afirma ser uma "inverdade". Ele também negou conhecer Deomar Wess e Antônio Tolentino, citados na denúncia anônima. 

Durante a audiência, o genro e administrador das empresas de Arcanjo, Giovanni Zem Rodrigues, também foi chamado para esclarecer pontos da denúncia, que indicavam que ele teria ameaçado Alberto Toniasso, que seria um concorrente. Ele afirmou que em dezembro do ano passado, quando seu sogro ainda estava preso, recebeu em seu escritório, na Avenida do CPA, o senhor Antônio, que teria lhe dito que detinha cerca de 30 pontos de jogo do bicho e os ofereceu como negócio, mas Giovanni afirma ter recusado a proposta, pois a família não trabalha mais com isso.   

O advogado Zaid Arbid afirmou que Arcanjo é o principal interessado na verdade e que sequer procurou a Polícia Civil após as apreensões para não parecer que queria interferir. Ressaltou ainda que seu cliente tem se dedicado ao trabalho lícito, à família e aos estudos, fazendo curso técnico de Administração e de inglês, no horário em que está autorizado a sair de casa.

A pedido da defesa, o promotor pediu que seja identificado quem protocolou a denúncia para que seja intimado a depor. A intenção é descobrir se alguém "armou para o lado de Arcanjo". O juiz Geraldo Fidélis determinou que seja identificado por meio das câmeras do protocolo do Fórum de Cuiabá, quem fez as denúncias. Ele marcou outra audiência para o dia 13 de setembro para ouvir a pessoa, caso seja identificada.

Chico Ferreira

Advogado classifica denúncia como maldade

Antes de iniciar a audiência, o único a falar com jornalistas nos corredores do Fórum foi Zaid Arbid, comentando sobre as acusações. Ele resumiu a situação como maldade pura. “João Arcanjo incomoda. João Arcanjo é uma pessoa diferenciada”, complementou o advogado.

“É maldade pura. Você acha que uma pessoa que passou mais de 14 anos reclusa, se desfez de tudo que fez, vai pegar e vai voar para o passado, para apenas um jogo do bicho, 20 ou 30 pontos, vai trocar a liberdade por um jogo de bicho?”, questionou o jurista ao lado de seu cliente.

Antes de ser chamado para a sala de audiências, Arcanjo, agora com traços de expressão mais saudáveis, se manteve quase calado, gesticulando com sorrisos irônicos quando questionado. Uma das poucas respostas foi que se sente feliz fora da prisão e que concorda que é uma figura popular, que gera simpatia e até antipatias entre grande parte da sociedade mato-grossense. 

A necessidade de justificativa é recente. A Vara de Execução Penal de Cuiabá recebeu denúncias de que o ex-bicheiro estava de volta no mundo do crime. Dois supostos atentados teriam sido registrados. Documentos também foram apreendidos pela Polícia Civil numa área de jogo do bicho. Nos papeis, constavam o nome de Arcanjo e alguns familiares.

Porém, segundo Zaid Arbid, seria pura desinteligência questionar as condutas recentes de seu cliente. “A última coisa que você pode pensar de João arcanjo Ribeiro é que ele seja estúpido. Jamais ele vai ser estúpido. Ele é conhecido pelo tirocínio, como empreendedor. Ele não vai voltar e trazer uma situação ao espaço para trás, e trazer uma situação contrária a ele”, afirmou.

A progressão de regime do ex-bicheiro, do fechado para o semiaberto, foi deferida em fevereiro deste ano, considerando o bom comportamento durante os 14 anos e 9 meses de prisão.

Segundo a defesa, a única ação de Arcanjo tem sido no sentido de comemorar a vida fora da cadeia. “Tem celebrado a liberdade. Acima de tudo. E com respeito, com a devoção e com a reverência determinada pelo Poder Judiciário”. “Hoje , mais que nunca, João Arcanjo Ribeiro acredita, precisa e põe fé na Justiça. Reverencia o Poder Judiciário”, finalizou.

                 



// matérias relacionadas

Sexta, 14 de setembro de 2018

09:43 - Advogado afirma que Arcanjo está sendo vítima de armação

Quinta, 13 de setembro de 2018

14:53 - Vendedor de jogo do bicho concorrente de Arcanjo confirma agressão

Segunda, 27 de agosto de 2018

13:52 - Juiz arquiva ação contra Arcanjo para evitar gasto de tempo e dinheiro público

Segunda, 20 de agosto de 2018

11:59 - Agente é condenado por facilitar fuga de pistoleiro de Arcanjo

Terça, 14 de agosto de 2018

07:16 - Uruguai autoriza retomada de processos contra Arcanjo

Segunda, 13 de agosto de 2018

16:50 - Arcanjo é absolvido de crimes e receberá R$ 80 mil de fiança

Quarta, 08 de agosto de 2018

07:30 - TRF mantém sequestro de hotel nos EUA, avião e mais bens de Arcanjo

Terça, 07 de agosto de 2018

17:38 - Juiz manda identificar quem denunciou Arcanjo e defesa nega intimidação

Quinta, 02 de agosto de 2018

10:43 - Arcanjo pode voltar à prisão na tarde de hoje

Quinta, 26 de julho de 2018

09:10 - Justiça recebe fotos de atentados a mando de João Arcanjo - veja


// leia também

Sábado, 15 de setembro de 2018

09:57 - PF prende o desembargador Evandro Stábile por determinação do STJ

Sexta, 14 de setembro de 2018

16:50 - Silval, Eder, Riva e ex-conselheiros são interrogados sobre compra de vaga no TCE

14:01 - Tenente Ledur tratava pelotão como lixo, afirma soldado em depoimento

07:53 - Silval contradiz delação ao negar sociedade com Mauro Mendes

Quinta, 13 de setembro de 2018

19:20 - TJ decide que governo não é obrigado a pagar emendas impositivas

17:16 - Defesa diz que Maggi não apagou mensagens de celular e que PF pode ter forjado provas

16:25 - Juiz mantém veículo de luxo bloqueado e ex-secretário de Silval não pode transferir

09:45 - Fux mantém inquérito contra Bezerra no STF e prorroga investigação por 90 dias

Quarta, 12 de setembro de 2018

10:14 - Promotores de Justiça são absolvidos de acusação de corrupção em Cuiabá

Terça, 11 de setembro de 2018

16:24 - Médica Letícia Bortolini é denunciada por 4 crimes pela morte de verdureiro