WhatsApp Twuitter

Domingo, 10 de setembro de 2017, 09h05

Deputado Romoaldo confirma listas em delação de Silval e nega mensalinho

Janaiara Soares, repórter do GD


Chico Ferreira

Romoaldo Júnior

“Muito do que está na delação é verdade, mas também tem muita mentira e o Silval não vai conseguir provar tudo”, afirmou o deputado estadual Romoaldo Júnior (PMDB) que foi líder do ex-governador na Assembleia Legislativa.

De acordo com ele, as declarações de Silval Barbosa (PMDB) em sua delação premiada incriminado os deputados é uma forma que a defesa achou para que ele conseguisse a liberdade. O deputado Silvano Amaral (PMDB) também se defendeu da acusação de que tentou extorquir o ex-gestor.

Barbosa afirmou na delação premiada que Silvano teria ido visita-lo no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC) para pedir dinheiro e em troca votaria favorável a aprovação das contas do último ano de gestão do peemedebista. Silvano apresentou uma certidão da Secretaria de Segurança que comprova que ele não esteve no presídio nos anos de 2015 e 2016. “Nunca estive na prisão para visitar o ex-governador, muito menos para pedir dinheiro. Nossa votação foi totalmente baseada na parecer favorável que veio do TCE. Nunca houve discussão sobre pedir algo ao Silval”.

Romoaldo confirmou que fez lista com o nome de deputados que se reuniriam com o governador. Segundo ele isso era comum para registrar a presença nas reuniões mensais que eram promovidas por Silval. Porém, ele nega a existência de mensalinho.

“Nunca teve mensalinho, já disse isso em depoimento. Havia uma prática aqui na Assembleia, normal, que é a assistência social. Cada gabinete desses era um escritório de assistência, onde se pedia caixão, bujão de gás, exame médico, comida e remédios. Eu tinha um alojamento que era mantido com dinheiro daqui e falei em juízo. Eu estava errado porque não devia fazer, mas usei o dinheiro público para o público, Hoje não se faz mais isso”, disse o deputado.

Ele ainda ressaltou que os deputados que se aproveitaram para conseguir dinheiro em beneficio próprio devem ser punidos e afirma que não ficou surpreso com as declarações do ex-governador que segundo ele, é seu amigo.

“Quando você está preso e quer sair, depois de 10 anos de vida pública você começa a falar tudo. Eu não vou negar que fazia a intermediação entre governador e deputados, eu era líder do governo e era encarregado de fazer a intermediação. Mas o que fizeram foi envolver todo mundo e tentar amenizar a culpa dele para conseguir a liberdade. Quem tiver se aproveitado tem que ser preso e tem que responder pelo que fez”.



// matérias relacionadas

Quinta, 18 de janeiro de 2018

19:32 - Após prisões e processos, Silval 'ajudará' acabar com corrupção endêmica - veja vídeo

15:50 - Silval Barbosa evita receber visitas por medo de pessoas de 'má-fé'

07:30 - Silval Barbosa afirma não sentir culpa pelo atraso do VLT

Segunda, 15 de janeiro de 2018

14:30 - Silval Barbosa diz que se arrepende e está se retratando

Sexta, 12 de janeiro de 2018

11:42 - MPE apura esquema entre Silval Barbosa e a Petrobras

Terça, 26 de dezembro de 2017

21:01 - Entra e sai gravado em vídeo é destaque

Segunda, 18 de dezembro de 2017

09:44 - Maggi e Emanuel lideram impacto negativo

Domingo, 17 de dezembro de 2017

12:11 - Gilmar Mendes e Silval devem ser investigados

Quarta, 13 de dezembro de 2017

14:33 - Naco investiga Mauro Savi por suposta corrupção no Detran

Segunda, 11 de dezembro de 2017

08:25 - Emanuel pede que Fux reconsidere decisão


// leia também

Quinta, 18 de janeiro de 2018

12:04 - TRE prorroga revisão do eleitorado para 30 de março em Cuiabá, VG e Sinop

11:29 - Aliança não é eterna, diz Fábio Garcia sobre apoio a Taques

11:09 - Pedro Taques diz estar tranquilo sobre CPI dos Fundos para investigar governo

11:00 - Governador empossa novos titulares da Secretaria de Fazenda e PGE

Quarta, 17 de janeiro de 2018

19:30 - Pedro Taques avisa que Estado não vai liberar recursos para Carnaval

17:26 - Governador Taques busca liberação de R$ 100 milhões para a saúde

15:30 - Depoimentos de Silval à CGE respingam em 106 empresas e vários servidores

13:28 - Em jantar com presidentes do TJ e AL, Taques promete R$ 40 milhões

10:28 - Escolha de membros da CPI que investigará Taques fica para depois

07:45 - Silval Barbosa aconselha novo governador a não cometer crimes