WhatsApp Twuitter

Segunda, 11 de setembro de 2017, 17h30

POLÍTICA DE MT

Vereadores cobram do MP celeridade para investigar Emanuel Pinheiro

Janaiara Soares, repórter do GD


Reprodução

Emanuel Pinheiro foi flagrado recebendo maços de dinheiro e colocando no paletó

Os 6 vereadores que assinaram o pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a conduta do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), irão se reunir com o procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, Mauro Benedito Pouso Curvo nesta terça-feira (12), para pedir celeridade no processo de investigação contra o gestor.

Pinheiro foi filmado enquanto deputado estadual recebendo dinheiro do ex-chefe de gabinete Silvio Cézar Corrêa Araújo. O benefício, confirme afirmou o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) em sua delação premiada, era pago a todos os parlamentares da época em troca de apoio político ao peemedebista. 

O chamado de "mensalinho", garantia que os deputados não denunciariam os desvios do Executivo Estadual. O requerimento para a reunião no Ministério Público Estadual (MPE) foi apresentado pelo vereador Gilberto Figueiredo (PSB) e aprovado em plenário. As imagens foram gravadas por Silvio e fazem parte da delação premiada de Silval homologada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, cujo sigilo já foi levantado pelo relator do caso.

O vereador pediu em plenário que o prefeito fosse até a Casa de Leis para se explicar, porém, o pedido foi negado pelo presidente da Câmara, vereador Justino Malheiros (PV). Segundo ele, o Legislativo não tem prerrogativa de convocar o prefeito e ressaltou que, segundo o Regimento Interno, Pinheiro pode se manifestar apenas por escrito.

Ednei Rosa

Vereador Gilberto Figueiredo apresentou o requerimento para reunião com o chefe do MPE

“Eu fiz uma convocação informal para que o prefeito viesse se explicar sobre o vídeo. Como o presidente barrou esse convite, eu vou fazer as perguntas por escrito, como o Regimento permite, e esperar o posicionamento do prefeito. Esperamos que essas respostas venham esclarecer o que todos querem saber, o porque de ele estar recebendo dinheiro naquele vídeo”, disse Figueiredo.

Silval Barbosa afirma que o dinheiro que Emanuel e pelo menos outros 23 políticos, com e sem mandato, recebiam era propina em troca de apoio polí- tico na Assembleia Legislativa de Mato Grosso e também para que irregularidades em sua gestão não fossem fiscalizadas pelos parlamentares.

O dinheiro, segundo ele, era desviado de obras pública e arrecadado por meio de esquemas de propina cobrada de empresários que mantinham contratos com o Estado ou venciam licita- ções para diversas obras. Emanuel Pinheiro ainda não explicou em público. Porém, em sua única manifestação em rede social após a veiculação do vídeo, afirmou que as imagens foram deturpadas e que não estava recebendo dinheiro de forma indevida.



// matérias relacionadas

Quarta, 13 de setembro de 2017

15:58 - Justiça eleitoral cassa mandato do vereador Marcrean Santos

Terça, 12 de setembro de 2017

18:31 - Câmara suspende sessão para 'evitar' o tema CPI

13:12 - Presidente da Câmara prevê demissão coletiva

Segunda, 11 de setembro de 2017

19:07 - TCE proíbe Câmara de Cuiabá de usar R$ 6,7 mi de crédito suplementar

Quinta, 07 de setembro de 2017

20:20 - Justiça anula repasse de R$ 6,7 milhões de Pinheiro a vereadores

08:00 - Ministério Público de Contas aciona TCE para anular repasse milionário

Terça, 05 de setembro de 2017

18:28 - Prefeito prejudica a 'reputação' da Câmara

18:06 - Vereadores do PV não se entendem na Câmara

15:20 - Servidor pede impeachment de prefeito, mas vereadores arquivam

10:29 - Vereador pede afastamento do prefeito de Cuiabá e quer anular repasse milionário


// leia também

Quinta, 21 de setembro de 2017

20:20 - Ex-chefe de gabinete de Silval diz que omitiu crimes em delação

15:20 - Botelho marca posse de Meraldo Sá na vaga de Fabris

11:34 - TCE mantém suspensão de aumento de repasse à Câmara

11:30 - Discurso de Trump é som de cachorro latindo, diz ministro da Coreia do Norte

10:15 - Deputados pretendem tirar o colega Gilmar Fabris da cadeia

08:41 - TCE quer saber se houve má-fé em compra superfaturada de maquinários

Quarta, 20 de setembro de 2017

20:13 - Taques detona Orlando Perri e vai acioná-lo no CNJ por afastar secretário

18:15 - Delegado sindicalista diz que Perri comete excesso com busca na Sesp e tornozeleira

16:42 - Afastado do cargo pela Justiça, Rogers Jarbas alega desconhecer acusação

14:22 - TJ afasta secretário Rogers Jarbas e impõe uso de tornozeleira