WhatsApp Twuitter

Segunda, 11 de setembro de 2017, 19h49

comissão da JBS

Senador de MT convoca Joesley e Janot para se explicarem no Congresso

Karine Miranda, repórter do GD


O senador José Medeiros (Podemos) protocolou, nesta segunda-feira (11), um requerimento em que solicita a convocação do dono da JBS, Joesley Batista, e do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para prestarem depoimento à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) no Congresso Nacional.

A comissão foi criada para apurar eventuais irregularidades na aquisição de parte da JBS pelo Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) durante os governos do PT, entre 2007 e 2016. Sustentado por crédito do BNDES, o grupo elevou seu faturamento de R$ 4 bilhões em 2006 para R$ 170 bilhões no ano passado.

Waldemir Barreto/Agência Senado

Medeiros apresenta requerimento para convocar Joesley e Janot

Além disso, a comissão vai averiguar o acordo de delação estabelecido entre o Joesley e o Ministério Público Federal (MPF). Joesley fez acordo para não ser preso, em troca de entregar um áudio da conversa gravada pelo empresário com o presidente Michel Temer (PMDB), acusado de ter usado o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para receber vantagens indevidas do empresário.

O áudio foi usado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) para denunciar Temer pelo crime de corrupção passiva no âmbito da Operação Lava Jato. A denúncia foi rejeitada pela maioria dos deputados federais.

No entanto, a divulgação de novos áudios de uma conversa entre o empresário e outros dois exeuctivos da JBS, com referências à PGR e ao Supremo Tribunal Federal geraram a revisão do acordo de delação premiada de Joesley. Inclusive, com base nos áudios, Janot determinou investigação para apurar indícios de omissão de informações na delação premiada dos executivos do grupo.

Além de Joesley e Janot, foram convocados a prestarem depoimento, a esposa de Joesley, a jornalista Ticiane Villas Boas, o ex-executivo da JBS, Ricardo Saud, o ex-procurador do MPF, Marcelo Miller, e o procurador da República Eduardo Pelella.

A comissão foi instalada no último dia 5 e tem como presidente o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), e o vice-presidente, o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), além de Medeiros como um dos membros. As próximas reuniões acontecem na terça-feira (12) e na quarta (13).

Além do convite a Rodrigo Janot e convocação de Joesley para prestarem depoimento, já há mais de 60 requerimentos a serem analisados.



// matérias relacionadas

Segunda, 18 de junho de 2018

16:18 - Conselho de Ética da Câmara deve instaurar processo contra Nelson Meurer

09:11 - Ministro do TCU vê 'carteirada' de Moro ao limitar provas da Lava Jato

Sábado, 16 de junho de 2018

11:34 - Justiça Federal aceita 24ª denúncia contra ex-governador Sérgio Cabral

Quarta, 13 de junho de 2018

13:18 - Em carta a prefeitos, Lula diz que PEC do teto inviabilizará gestão das cidades

12:40 - Ações cíveis da Lava Jato tramitam em ritmo lento

10:41 - PT e MDB também vão responder por improbidade

09:12 - Ministro do STJ nega mais um recurso de Lula para deixar prisão

Sexta, 08 de junho de 2018

15:41 - Celso de Mello libera para julgamento ação penal de Gleisi Hoffmann

13:23 - Fachin rejeita mais um habeas corpus de ex-ministro Antonio Palocci

Quinta, 07 de junho de 2018

09:00 - FHC pediu a Odebrecht doações para campanha


// leia também

Segunda, 18 de junho de 2018

18:12 - Auditor de carreira assume a Controladoria Geral do Estado

16:20 - Taques diz que vai cancelar escolta de Selma, mas nega ilegalidade

15:43 - CPI da Saúde terá vereadores da base do prefeito como relator e membro

13:30 - Selma Arruda ganha escolta de empresa de segurança privada

07:22 - Leitão corre atrás de assinaturas para diminuir deputados e senadores

07:15 - Emanuel quer base unida para eleição da Mesa Diretora na Câmara

Domingo, 17 de junho de 2018

08:58 - Pré-candidata Margareth Buzetti não se apega a cargo e quer destravar economia - vídeo

Sábado, 16 de junho de 2018

15:15 - Gustavo de Oliveira descumpre estatuto da FIEMT e pode sofrer impugnação

11:17 - Ex-reitora da UFMT admite dificuldade na disputa ao Senado

10:51 - Vereador propõe que cargo de chefia só pode ser exercido por servidor efetivo