WhatsApp Twuitter

Segunda, 11 de setembro de 2017, 00h00

Eu não quero Pátria

Pedro Félix


Eu quero Fratria, pois Pátria é sinônimo de patriarcado, sinal conservador e coronelístico, onde a palavra de um vale pelos outros. Eu não quero Pátria, pois ela não me reconhece como cidadão, que deve participar da vida política e ver suas opiniões respeitadas.

Eu não aceito a Pátria que me pariu, pois ela me abandonou a mercê de lobos famintos por dinheiro, que matam de forma direta e indireta, milhões de outros cidadãos mais pauperizados.

Eu não quero a Pátria, que canta um hino sem significado algum e é obrigado a ser cantado por crianças inocentes que não sabe o que está cantando. Hino considerado como um dos mais bonitos entre seus pares, mas que retrata um universo que não existe nas ruas do Brasil.

E não pertenço a esta Pátria, de inescrupulosos, sem consideração, sem ética, sem moral, que se auto denomina político brasileiro, que não representa ninguém, a não ser seu próprio bolso.

Não vivo nesta Pátria, onde uns recebem um salário mínimo falso daquele que está na Constituição, enquanto alguns do Judiciário leva de pancada quinhentos mil reais num só mês.

Sou contra esta Pátria que tem um Presidente claramente visto como corrupto, faz cara de paisagem em nome de um desenvolvimento econômico e de Reformas acintosas contra a nação, mentindo que está levando o progresso a nação.

Não gosto desta Pátria racista, onde os melhores cargos da iniciativa privada e pública estão nas mãos de brancos que fingem não serem racistas.

Odeio esta Pátria, que incentiva a "lei de Gerson", onde levar vantagens é sinônimo de inteligência, ao invés de malandragem.

Me arrepia esta Pátria, que vê na televisão sua igreja de conhecimento, banindo ou banalizando a leitura dos livros e endeusando a putaria do BBB.

Não tenho o que comemorar, meu coração está em prantos de lágrimas de sangue, pois morre minha vontade de ver uma Pátria livre, democrática, onde haja a efetividade da participação social cidadã em todos os âmbitos da vida social.

É muito triste vê que os três poderes que nos representam, são os que estão nos roubando, vilipendiando a riqueza nacional, dividindo entre ricos que de uma hora para outra se elevam a classe A, com o dinheiro surrupiado da merenda, de instrumentos hospitalares, da construção de estradas, de melhoria na Educação, enfim de segurança a todos.

Poderia finalizar com um Salve a Pátria brasileira, mas prefiro dizer, FORA TEMER e seus congêneres.

Pedro Felix é escritor, historiador e funcionário público.



// leia também

Quinta, 21 de setembro de 2017

00:00 - Dia da Árvore

00:00 - Agronegócio na Argentina e MT

00:00 - A escolha da escola

00:00 - A essência do mau atendimento - 4

00:00 - "Cura gay", "cura corrupto"

Quarta, 20 de setembro de 2017

16:36 - Deixai-me sem cura

00:00 - Brasil dificulta empreender

00:00 - Funrural, futuro incerto

00:00 - Empatia

00:00 - Crédito: risco ou oportunidade?