WhatsApp Twuitter

Sexta, 08 de setembro de 2017, 08h38

Mudança de humor

Maia diz que pautará votação da Previdência em outubro, após reforma política


A reforma da Previdência, que para muitos já era dada como morta, voltou a ganhar força, pelo menos nas declarações de pessoas ligadas ao governo. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse ontem que vai pautar a votação do projeto em outubro, depois da análise da reforma política. Para ele, com a ajuda do governo, há condições de se conseguir o quórum necessário para votar o projeto.

Na quarta-feira, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, já havia afirmado que a reforma da Previdência “será votada neste ano, sim, senhor”. Segundo ele, o momento agora é de voltar ao debate sobre a proposta, para esclarecer pontos dela com os parlamentares.

Divulgação

A mudança de humor em relação à Previdência veio depois do anúncio da revisão do acordo de colaboração premiada dos executivos da JBS pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A avaliação política é de que, com todos os acontecimentos desta semana, uma nova denúncia da PGR contra o presidente Michel Temer ficou esvaziada, e o governo ganhou força.


O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, foi outro a sair esta semana em defesa da reforma da Previdência. Ele afirmou que o projeto não está enterrado na Câmara e que, se a primeira denúncia contra Temer não tivesse sido apresentada, a proposta já teria sido aprovada.

A mudança na Previdência é um dos principais – senão o principal – projetos da equipe econômica para tentar reequilibrar a economia brasileira. Atualmente, aposentadorias e pensões respondem por uma enorme fatia do rombo nas contas públicas do País, e a tendência é que esse buraco aumente cada vez mais.

A proposta de emenda constitucional (PEC) está praticamente parada na Câmara desde maio, quando veio à tona a delação dos executivos da JBS, que atingia o presidente Temer. E enfrenta uma forte resistência no Congresso. Para os parlamentares, o projeto é impopular, o que poderia causar desgaste entre os eleitores e prejudicar o desempenho nas urnas em 2018.

Aliados de Temer dizem que, atualmente, a conta de votos favoráveis à reforma da Previdência esteja entre 200 e 250. São necessários pelo menos 308 votos para a aprovação.

Uma das possibilidades que vinham sendo ventiladas nos últimos tempos para se garantir a aprovação do projeto era reduzi-lo a alguns pontos básicos, principalmente a idade mínima para a aposentadoria.

O próprio líder do governo no Congresso, senador Romero Jucá (PMDB-RR), defendeu, também na quarta-feira, a aprovação de uma reforma “possível”. Na avaliação dele, a mudança na idade mínima e o fim dos privilégios nas aposentadorias são “mecanismos tranquilos” de serem aprovados pelo Congresso.  



// matérias relacionadas

Sexta, 17 de novembro de 2017

18:51 - Déficit da Previdência coloca em risco a economia do País, diz ministro

Quinta, 16 de novembro de 2017

11:58 - Base tem dificuldade de aprovar pacote, diz Maia

Domingo, 12 de novembro de 2017

16:30 - Financial Times diz Previdência no Brasil é incerteza dos emergentes

10:17 - Para votar Previdência, relator diz que Temer precisa mudar ministérios

Quinta, 09 de novembro de 2017

13:25 - Relator diz que será mantido atual tempo mínimo de contribuição

12:25 - Base governista concorda em votar logo reforma da Previdência

09:07 - Rodrigo Maia prevê cortes em aposentadorias já concedidas

08:58 - Governo desidrata texto da Previdência para tentar aprová-lo até dezembro

07:45 - Líderes da Câmara e Meirelles discutem PEC da Previdência

Quarta, 08 de novembro de 2017

20:32 - Reforma da Previdência focará em altos salários do funcionalismo


// leia também

Domingo, 19 de novembro de 2017

08:43 - Informalidade em alta limita o crédito bancário ao brasileiro

08:36 - Etanol sobe pela 6ª semana seguida e só compensa em MT e mais 2 estados

Sábado, 18 de novembro de 2017

17:26 - Ministério Público investiga desvio de R$ 200 milhões na PM paulista

17:00 - Justiça afasta diretores da Oi de decisões sobre recuperação

09:03 - Mensalidade escolar terá reajuste duas vezes maior que a inflação

08:55 - Caixa briga para não devolver R$ 27 bilhões

Sexta, 17 de novembro de 2017

17:22 - Governo federal vai descontingenciar R$ 7,5 bilhões do Orçamento

14:08 - Petrobras capta US$ 1 bilhão com sindicato de bancos

13:31 - Exportações do setor agropecuário crescem mais de 150%

08:51 - Confira as cinco dicas para usar bem a restituição do Imposto de Renda 2017