WhatsApp Twuitter

Terça, 04 de setembro de 2018, 14h06

ECONOMIA

Consumidores pagarão R$ 1,937 bi a mais na conta de luz para cobrir subsídios


Os consumidores de energia elétrica terão que pagar mais para cobrir o custo dos subsídios do setor. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 4, a revisão do orçamento da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), taxa embutida na conta de luz que banca programas sociais, descontos tarifários e empréstimos subsidiados para o setor. Para que seja possível conceder esses benefícios, todos os consumidores precisam pagar contas mais altas.

Marcelo Camargo/Agência Brasil

A proposta da Aneel, apresentada no dia 7 de agosto, previa que seria necessário aumentar a arrecadação em R$ 1,446 bilhão. Porém, após a audiência pública, o órgão regulador decidiu elevar o valor necessário para bancar as despesas da CDE em R$ 1,937 bilhão. Segundo o relator, diretor Rodrigo Limp, os gastos do fundo setorial serão mais altos do que o previsto, enquanto as receitas serão mais baixas do que o projetado.

A CDE é um fundo setorial que concede benefícios a diversos grupos de interesse, como a tarifa social da baixa renda e o programa Luz para Todos, descontos para diversos grupos, como agricultores e irrigantes, subsídios para energias renováveis e para a compra de carvão, empréstimos subsidiados para as distribuidoras da Eletrobras, compra de combustível para usinas termelétricas em regiões isoladas, entre outros.

O orçamento do fundo neste ano era de R$ 18,843 bilhões, dos quais R$ 16,019 bilhões seriam pagos pelos consumidores e o restante por receitas próprias. Porém, com a queda das receitas e aumento dos gastos, o orçamento teve que ser elevado para R$ 20,053 bilhões. ‘Esse é o custo da política pública‘, disse o diretor-geral da Aneel, André Pepitone.

Os principais itens que levaram ao aumento do custo foram os gastos com compra de carvão mineral, elevados de R$ 752 milhões para R$ 850 milhões; o combustível usado para abastecer termelétricas de regiões isoladas no Norte do País, de R$ 5,346 bilhões para R$ 5,849 bilhões; os subsídios para grupos de interesse, que subiram de R$ 6,944 bilhões para R$ 8,362 bilhões; a subvenção para cooperativas, de R$ 155 milhões para R$ 179 milhões.

Foram cortadas as despesas com o programa Luz para Todos, de R$ 1,172 bilhão para R$ 941 milhões; os descontos tarifários na transmissão, de R$ 503 milhões para R$ 362 milhões; e a reserva técnica, de R$ 460 milhões, que foi utilizada. Ficaram inalteradas as despesas com itens como restos a pagar, tarifa social da baixa renda e a remuneração do administrador do fundo.

O aumento do gasto será repassado aos consumidores na data do reajuste tarifário de cada distribuidora, mas já vem sendo aplicado desde o início de agosto. Para as empresas que já tiveram reajuste tarifário neste ano, o valor só será repassado em 2019.

O pedido de revisão do orçamento da CDE foi solicitado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que administra o fundo setorial e informou a existência do déficit à Aneel.

A analista técnica da diretoria de Energia da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia (Abrace), Natália Moura de Oliveira, lamentou o aumento do orçamento da CDE e o repasse do custo aos clientes. ‘Aumentar o custo do subsídio é aumentar a ineficiência do setor‘, afirmou. 



// matérias relacionadas

Quinta, 13 de setembro de 2018

18:00 - Conta de luz deve ter bandeira vermelha até o final do ano

Sexta, 31 de agosto de 2018

19:42 - Aneel mantém bandeira vermelha nas contas de luz em setembro

Terça, 21 de agosto de 2018

17:30 - Consumo de energia no País sobe 1,8% na primeira metade de agosto

14:55 - Aneel aprova reajuste nas contas de luz em seis estados

Segunda, 20 de agosto de 2018

14:58 - Brasileiros com contas atrasadas deixam de pagar água e luz

Quinta, 16 de agosto de 2018

14:58 - Fontes renováveis responderam por quase 88% da energia gerada em junho

Quarta, 15 de agosto de 2018

19:15 - Moreira Franco defende preço justo para contas de luz, com menos subsídios

Quinta, 09 de agosto de 2018

14:08 - Desembolso do BNDES para energia elétrica será de R$ 15 bi em 2018

Sexta, 27 de julho de 2018

18:30 - Contas de luz continuam com bandeira vermelha no patamar 2 em agosto

Sexta, 29 de junho de 2018

18:00 - Aneel mantém bandeira vermelha em patamar 2 nas contas de luz de julho


// leia também

Domingo, 16 de setembro de 2018

07:47 - Benefícios fiscais para montadoras atingirão recorde de R$ 7,2 bi em 2019

07:42 - Equilibrar contas públicas é o principal desafio, dizem economistas

Sábado, 15 de setembro de 2018

14:53 - Crise de 2008 resultou em desindustrialização e crise fiscal no Brasil

12:12 - Infraero prorroga edital para exploração comercial em 3 aeroportos

08:53 - McDonald's oferece 20 oportunidades de trabalho em Cuiabá

Sexta, 14 de setembro de 2018

17:38 - Dólar tem dia de trégua e cai para R$ 4,1649 após máxima histórica de ontem

15:56 - Renda das mulheres é 42,7% menor que a dos homens, diz Pnud

15:47 - Caixa vai reduzir taxa para imóveis de até R$ 1,5 milhão

10:00 - Em dois meses, preço de massas e pães subiu 10% no país

09:45 - Volume de serviços recua 2,2% de junho para julho