WhatsApp Twuitter

Sexta, 14 de setembro de 2018, 15h56

ECONOMIA

Renda das mulheres é 42,7% menor que a dos homens, diz Pnud


Apesar de as mulheres apresentarem melhor desempenho na educação e terem maior expectativa de vida no Brasil, a renda delas é 42,7% menor que a dos homens (10,073 para mulheres contra 17,566 para homens), segundo dados divulgados hoje (13) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). A média de renda per capita do país é de 13,755.

Sebrae/MT

Ao apresentar o novo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país e do mundo, o órgão destacou a desigualdade de gênero na taxa que considera o acesso da população à educação, saúde e perspectivas econômicas.

De acordo com o levantamento, no Brasil, enquanto o IDH dos homens é de 0,761, na escala que varia de 0 a 1 ponto, o das mulheres é de 0,755 - quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano. A expectativa de vida das brasileiras é de 79,3 anos contra 72,1 anos dos homens. No quesito educação, a projeção de uma menina que entra no ensino em idade regular é permanecer estudando por 15,9 anos e ter uma média de estudo de 8 anos, contra, respectivamente, 14,9 e 7,7 para os meninos.

Países como Uruguai, Venezuela e Argentina mantêm padrões muito mais equitativos entre homens e mulheres, ainda que todos eles sustentem a disparidade econômica por gênero de quase 50% entre a renda de um e outro.

Parte da justificativa pode estar no menor tempo que a mulher dispõe para o mercado de trabalho formal. Um dos dados divulgados pelo Pnud aponta que o Brasil é o país da região onde há menor divisão das tarefas domésticas entre homens e mulheres. De acordo com o levantamento, elas gastam 13,3% mais do tempo em atividades não remuneradas dentro de casa, trabalhando 4,3 vezes mais nestas funções do que os brasileiros. O número ainda pode ser maior, considerando a subnotificação, neste levantamento, do tempo disposto para cuidar de filhos, idosos e familiares doentes.

Com relação à participação política, as mulheres ocupam 11,3% das cadeiras do Congresso Nacional. O número representa o pior resultado da América do Sul e o terceiro pior da América Latina, atrás somente de Belize (11,1%) e das Ilhas Marshall (9,1%). O país com menor IDH do mundo, Níger, tem mais mulheres com assento no Parlamento (17%) do que o Brasil. 



// matérias relacionadas

Quinta, 13 de setembro de 2018

16:58 - País gera 392 mil empregos no primeiro semestre de 2018

Terça, 11 de setembro de 2018

18:30 - Em agosto, juro do crédito cai para consumidor e empresa

15:13 - Vendas de materiais de construção em agosto sobem 0,5%

Segunda, 10 de setembro de 2018

14:41 - Agência propõe multa de até R$ 5 mil por descumprimento de tabela

Quarta, 05 de setembro de 2018

17:30 - Dólar cai, em dia de alívio para emergentes

Segunda, 03 de setembro de 2018

19:00 - Vamos retirar investimentos do teto dos gastos, diz economista de Ciro

14:32 - Dólar opera em alta e inicia setembro negociado a R$ 4,13

Quinta, 30 de agosto de 2018

14:28 - Trabalho doméstico aumenta via informalidade

Quarta, 29 de agosto de 2018

18:00 - Juros fecham em queda com alívio no câmbio; dólar volta aos R$ 4,11

Terça, 28 de agosto de 2018

14:22 - Economia piora para 72% dos varejistas, diz CNC


// leia também

Domingo, 16 de setembro de 2018

07:47 - Benefícios fiscais para montadoras atingirão recorde de R$ 7,2 bi em 2019

07:42 - Equilibrar contas públicas é o principal desafio, dizem economistas

Sábado, 15 de setembro de 2018

14:53 - Crise de 2008 resultou em desindustrialização e crise fiscal no Brasil

12:12 - Infraero prorroga edital para exploração comercial em 3 aeroportos

08:53 - McDonald's oferece 20 oportunidades de trabalho em Cuiabá

Sexta, 14 de setembro de 2018

17:38 - Dólar tem dia de trégua e cai para R$ 4,1649 após máxima histórica de ontem

15:47 - Caixa vai reduzir taxa para imóveis de até R$ 1,5 milhão

10:00 - Em dois meses, preço de massas e pães subiu 10% no país

09:45 - Volume de serviços recua 2,2% de junho para julho

Quinta, 13 de setembro de 2018

18:00 - Conta de luz deve ter bandeira vermelha até o final do ano