WhatsApp Twuitter

Terça, 12 de setembro de 2017, 09h01

Brasil

Senado volta a analisar redução de maioridade penal de 18 para 16 anos


Após praticamente dois anos, o Senado vai retomar a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 21/2013), que prevê a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. Na próxima semana, o texto será incluído na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Presidente do colegiado, o senador Edison Lobão (PMDB-MA) afirmou que a intenção é votar o parecer do relator Ricardo Ferraço (PSDB-ES) já na próxima semana. Em análise de abril de 2016, sobre as diversas propostas que reduzem a maioridade, Ferraço questionou a atual limitação de 18 anos.

Divulgação

Ele destacou em seu relatório que hoje “estamos diante de uma ficção jurídica, uma construção abstrata e apriorística da lei, sem ligação necessária com a realidade concreta e que desconsidera se o agente era ou não capaz de entender o caráter ilícito do fato e de determinar-se de acordo com tal entendimento - que são os dois requisitos biopsicológicos adotados pela nossa lei e pela doutrina penal para as outras hipóteses de definição da inimputabilidade, como deficiência mental, embriaguez completa e dependência química”.

O tema havia sido uma das principais bandeiras do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), hoje preso pela Operação Lava Jato, mas estava esquecido no Congresso desde meados de 2015. De acordo com Ferraço, a recente onda de violência no País fez ele desengavetar a proposta. “Temos de enfrentar esse tema”, afirma.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), já adiantou que, se o projeto for aprovado na CCJ, colocará em votação no plenário assim que haja pedido dos líderes da Casa.

Diretor-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima vê uma série de problemas no projeto e considera que “não vai ajudar absolutamente nada no controle da criminalidade ou da violência”. “A gente tem um sistema prisional completamente falido, que é um celeiro de recrutamento para facções criminosas, e, dessa forma, o projeto só responde ao anseio de uma parte da população, mas não resolve o problema de segurança.

“É muito mais um discurso político, de linha dura, mas que, de concreto, não modifica em nada a situação em que vivemos”, diz o promotor da Vara do Júri Felipe Zilberman. “Eu defendo o cumprimento da lei, uma policia mais eficaz, investigação e políticas publicas.”

Já o promotor criminal Rogério Zagallo considera o projeto “absolutamente salutar”. “É uma questão de justiça. Hoje, nós temos injustiças: pessoas condenadas a penas socioeducativas absolutamente ínfimas diante dos fatos praticados, enquanto outras, porque fizeram 18 anos, sofrem uma pena mais expressiva”, afirma.

Para Zagallo, “isso incentiva o cometimento do crime, porque causa uma sensação de impunidade”. “O menor de idade tem a sensação de que nada vai acontecer com ele. Por outro lado, é absolutamente inconteste que uma pessoa com 16 anos tem consciência do que está fazendo, ao praticar atos ilícitos.”

Alternativa

Já na Câmara, projeto alternativo à redução da maioridade penal também avança - mudando o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e estendendo o prazo máximo de internação dos atuais 3 anos para até 10 anos.

Relator da proposta, o deputado Aliel Machado (Rede-PR) disse ter parecer pronto. Em agosto, a comissão que discute o tema foi prorrogada. A expectativa é votar o texto até a segunda quinzena de outubro. Um dos principais defensores dessa proposta é o governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB).

Veto ao aborto e Escola sem Partido também avançam

Deputados da bancada evangélica trabalham na Câmara para aprovar na comissão especial, ainda em setembro, proposta para inviabilizar a legalização do aborto pelo Congresso. Relator da proposta, o deputado Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP) quer incluir na Constituição que a vida humana tem início “na concepção” e, portanto, o feto tem de ser “protegido” desde então.

Ao incluir isso, quer encerrar de vez a discussão de projetos que permitem, por exemplo, interromper a gravidez até o terceiro mês de gestação - a polêmica ressurgiu, aliás, após liberação adotada por uma das turmas do Supremo Tribunal Federal (STF) em 2016. O trecho foi incluído em proposta sem relação com o tema, que tratava do aumento da licença-maternidade em caso de parto prematuro.

Escola sem Partido

Também avança sem alarde na Câmara o projeto conhecido como Escola sem Partido. A comissão especial criada para discutir o tema tem feito audiências públicas semanais e o relatório deverá ser apresentado ainda neste mês. A ideia é de proibir professores de propagar ideias políticas em sala de aula - partidos de esquerda e grande parte dos educadores são contrários, apresentando uma série de argumentos, que vão do direito de cátedra até a liberdade de expressão.

Também está em um dos colegiados da Câmara projeto que trata das novas regras para o licenciamento ambiental, cujo relatório foi apresentado no mês passado em comissão. “Vamos votar na próxima quarta. Houve entendimento. Eu mesmo tirei o relatório da pauta umas 20 vezes só este ano”, diz o relator, deputado Mauro Pereira (PMDB-RS). O texto propõe não só simplificar, mas em alguns casos até acabar com o licenciamento ambiental obrigatório, como o que envolvem atividades agropecuárias.

Coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista, o deputado, Alessandro Molon (Rede-RJ) diz que a oposição não aceita votar o projeto nas próximas semanas. Uma ideia é usar o regimento para obstruir sessões e forçar a reabrir o debate.  



// matérias relacionadas

Terça, 21 de novembro de 2017

08:02 - Senado deve analisar voto distrital misto para deputados e vereadores

Segunda, 13 de novembro de 2017

22:10 - Cristovam Buarque se afasta petista assume vaga no senado

Quarta, 25 de outubro de 2017

23:00 - Senado aprova PL da Leniência, que vai agora à sanção presidencial

Terça, 24 de outubro de 2017

22:30 - Senado aprova projeto que permite incluir dados em cadastros positivos

Terça, 10 de outubro de 2017

09:34 - Senadores avaliam emenda para revisar ordens do STF

Quarta, 14 de junho de 2017

08:34 - Mesa diretora do Senado se recusa a afastar Aécio Neves do cargo

Quinta, 11 de maio de 2017

10:27 - Renan tenta ganhar tempo como líder do PMDB no Senado

Terça, 02 de maio de 2017

11:42 - Com Eunício em exames, Cássio Cunha Lima conduzirá Senado nesta terça

Sexta, 28 de abril de 2017

11:44 - Senado realiza sessão de debates com apenas dois parlamentares

Quinta, 27 de abril de 2017

08:45 - Presidente do senado desmaia e é internado com suspeita de AVC


// leia também

Quinta, 23 de novembro de 2017

23:00 - Justiça decide que mulher vai a júri por instigar suicídio de ex

18:33 - Médicos alertam para possível fechamento do pronto-socorro do Hospital da USP

18:14 - 74% dos consumidores não acreditam nas promoções da Black Friday, diz pesquisa

17:48 - Giraffas entra na briga dos fast food e dará fritas de graça na Black Friday

14:58 - Mãe acusa escola no Ceará de expulsar sua filha por ser transexual

14:51 - Protesto por direito trabalhista bloqueia pista local da Marginal do Tietê em SP

14:35 - Clínica para dependentes químicos em Itu é interditada por maus-tratos

10:06 - Justiça absolve PMs que mataram pichadores na Mooca

10:02 - Criança toma 1ª dose de remédio de R$ 400 mil para tratar doença rara

Quarta, 22 de novembro de 2017

21:40 - ANJ concede Prêmio Liberdade de Imprensa à jornalista Míriam Leitão