WhatsApp Twuitter

Terça, 12 de setembro de 2017, 10h37

Operação Ingenium

Megaoperação prende bombeiros envolvidos em esquema de venda de alvarás


Com objetivo de cumprir 38 mandados - 35 bombeiros e 3 empresários - de prisão preventiva e 67 ordens de busca e apreensão, agentes da CGU (Corregedoria Geral Unificada) e do MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) deflagraram a Operação Ingenium (engenharia, em latim) na manhã desta terça-feira (12) . A investigação apura a participação de membros do Corpo de Bombeiros do Estado Rio em um esquema de venda ilegal de documentos para funcionamento de estabelecimentos comerciais. Até o momento, 14 pessoas foram presas.

Reprodução/internet

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado Rio, a operação ocorre em residências de suspeitos, quartéis e sede de empresas. Dentre os mandados de prisão, expedidos pela 1ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, estão os de dois assessores especiais do Comandante Geral do CBMERJ, dos Comandantes da Baixada Fluminense, Nova Iguaçu, Irajá, (ex-comandante de Duque de Caxias), GOPP, Copacabana, Campinho, Jacarepaguá e do Destacamento de Paracambi e de sete Coronéis da reserva.

Com base em escutas telefônicas, os investigadores descobriram que o esquema de corrupção ocorria no setor de engenharia de diversos grupamentos militares, principalmente no 4º GBM (Nova Iguaçu), no 14º GBM (Duque de Caxias) e no GOPP (Grupamento de Operações com Produtos Perigosos).

O esquema

Segundo as investigações, dois assessores especiais do Comandante Geral do Corpo de Bombeiros indicavam os comandantes destas unidades. Estes contavam com a participação dos bombeiros lotados no setor da engenharia, além de bombeiros militares da reserva e civis, que intermediavam os pagamentos das propinas pagas por empresários para obtenção do documento que permitia o funcionamento do empreendimento.

Os acusados se aproveitavam da condição de bombeiro militar para fiscalizar os estabelecimentos no intuito de notificar os responsáveis e, desta forma, provocar um acordo para negociar valores ilícitos. Em seguida, os acusados emitiam um laudo de exigências contendo todos os requisitos de segurança contra incêndio e pânico, porém, mesmo sem o cumprimento destas normas, após o pagamento de propina, os criminosos expediam o documento que atestava o cumprimento de todas as exigências.

As investigações comprovaram ainda que locais de diversões que reuniram grande público, inclusive um estádio de futebol, receberam as documentações sem cumprimento das exigências de segurança para proteção da vida das pessoas e do patrimônio, caso houvesse incêndio.

A operação conta com apoio da SSINTE (Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança), da Draco-IE (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais) e da Polícia Civil.

Em nota, o Corpo de Bombeiros informou que acompanha a operação do Ministério Público e está colaborando com as investigações. 



// matérias relacionadas

Segunda, 28 de agosto de 2017

09:05 - Frete de carga para o Rio sobe 35% por causa dos roubos de caminhão

Segunda, 21 de agosto de 2017

10:56 - Megaoperação em favelas do Rio deixa mais de 22 mil estudantes sem aulas

10:30 - Recruta do Exército é preso por vazar informações sobre operação

Sexta, 18 de agosto de 2017

09:36 - Pesquisadores veem pouco resultado e risco de desgaste dos militares no Rio

Quinta, 17 de agosto de 2017

08:46 - Câmara aprova projeto que torna crime hediondo posse ilegal de fuzis

Quarta, 16 de agosto de 2017

09:34 - Operação policial no Rio de Janeiro tem morte e 'caveirão' queimado

Terça, 08 de agosto de 2017

11:31 - Morte de mulheres avança 32% no Estado do Rio

Segunda, 07 de agosto de 2017

08:55 - Turista inglesa é baleada em Angra dos Reis após entrar por engano em comunidade

Segunda, 31 de julho de 2017

09:20 - Morre o bebê Arthur, que foi baleado dentro do útero da mãe no Rio

Segunda, 24 de julho de 2017

09:16 - Crise provoca o fechamento de quase 70 lojas por dia no Estado do Rio de Janeiro


// leia também

Terça, 19 de setembro de 2017

22:44 - MPF pede manutenção da prisão preventiva de Jacob Barata Filho

21:50 - Alexandre Moraes é favorável à prisão de condenados em 2ª instância

16:59 - Ministérios, Detran e governos de MG e RJ aderem à campanha #TrateSeuPreconceito

16:51 - Sem-teto desocupam portaria do Ministério da Fazenda depois de duas horas

15:30 - Para 50% dos brasileiros, saída de Temer não resolverá crise política

14:55 - Jogador da seleção de hóquei é morto com tiro na nuca no litoral

Segunda, 18 de setembro de 2017

22:00 - Estudantes já podem se inscrever para vagas remanescentes do Fies

21:30 - Lojas fecham na Rocinha um dia depois de tiroteio com mortos

21:00 - Polícia Federal investiga fraudes em 14 concursos públicos

18:01 - Mais de 80% das empresas brasileiras têm irregularidades, aponta estudo