WhatsApp Twuitter

Domingo, 10 de setembro de 2017, 00h00

Diligência




Como já se sabe, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu que não haja, por ora, desmembramento dos fatos relacionados à delação e que o inquérito inicialmente correrá em Brasília. Mas a primeira diligência solicitada por Janot foi a de acionar a Superintendência da Polícia Federal em Mato Grosso para que fizesse a análise das declarações de Silval, de sua mulher Roseli Barbosa, de seu filho Rodrigo Barbosa, de seu irmão, Antônio Barbosa e do seu chefe de gabinete na época, Silvio Cézar. O pedido é para que a PF cruze as informações expressas nas delações com provas já colhidas na época da Operação Ararath.

Precatórios

O episódio que envolve o pagamento suspeito de precatórios pelo governo de Mato Grosso, na época administrado por Blairo Maggi, também foi detalhado por Silval Barbosa em sua delação. O caso foi revelado pelo jornal A Gazeta em maio deste ano e mostrava que a construtora Andrade Gutierrez recebera uma série de pagamentos com trâmites muito mais rápidos do que qualquer outro precatório e sem deságio. Na delação, Silval diz que o governo do Estado usou os precatórios à Andrade Gutierrez para amortizar parte das dívidas que tinha com construtoras. Foram pagos R$ 200 milhões no governo Maggi e R$ 50 milhões na gestão Silval.

PAC

A Prefeitura de Várzea Grande e a Caixa Econômica Federal - CEF, irão estreitar relacionamento institucional e de parcerias para viabilizar novos investimentos em obras e ações, bem como dar prosseguimento a contratos como das obras do Programa de Aceleração do Crescimento - PAC, que se encontram em execução para obras de abastecimento de água e de tratamento de esgoto, além da pavimentação de asfalto.

Propina

Aconteceu com as obras do VLT. Também com as obras da Arena Pantanal. Por que as obras de mobilidade urbana ficariam de fora? Não ficaram, segundo Silval Barbosa. Na delação, ele cita o convênio firmado com o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) para construir viadutos e trincheiras na avenida Miguel Sutil e da FEB, em Várzea Grande, no valor de R$ 160 milhões. Segundo Silval, o Dnit teria atrasado repasses por 1 ano e, ao cobrar os recursos, teria sido informado pelo senador Wellington Fagundes que as obras só seriam retomadas caso fosse pago R$ 2 milhões em propina. Silval diz que acionou o então secretário Maurício Guimarães e este repassou R$ 1 milhão ao então diretor da unidade do Dnit no Estado, Luiz Antonio Garcia. Silval não soube dizer se o restante da propina foi pago.

Volume

A ‘delação monstruosa’ de Silval Barbosa recebeu esta alcunha do ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, não apenas por conta de seu conteúdo explosivo, que acusa vários políticos e detentores de cargo nas esferas estadual e federal. Mas também pela materialidade das denúncias, que se espalham por 664 páginas de documentos, três volumes e 15 apensos. Na descrição dos materiais, surgem dezenas de unidades de CD e DVD contendo os áudios e vídeos com gravações comprometedoras de agentes públicos.

Plantão

Apesar do ‘feriadão’, os salários dos servidores em atividade no Executivo foram nas respectivas contas na manhã do sábado (9). A folha líquida do mês de agosto de todos os servidores da ativa, aposentados, pensionistas e das autarquias totaliza R$ 443,820 milhões. Apesar de ser ponto facultativo, a equipe do Tesouro da Secretaria de Fazenda cumpriu expediente na manhã de sexta-feira para fechar a folha.

Depressão

Por falar em gravações comprometedoras, a informação é de que boa parte dos deputados que aparecem nas imagens recebendo dinheiro vivo das mãos do ex-chefe de gabinete de Silval, Sílvio Cezar de Araújo, estariam ‘deprimidos’. Um deles, o deputado José Domingos (PSD), admitiu que chorou ao ver sua imagem em rede nacional e que vai conseguir provar que é inocente das acusações. Mas outros deputados também implicados não estariam tão mal psicologicamente assim. Há quem, inclusive, teria dito que não se importa com nada, usando uma expressão chula bastante conhecida.

Antecipou

A receita necessária para completar o valor da folha somente entraria no caixa do Tesouro nesta segunda-feira (11). Porém, foi possível pagar os salários antes da data em função de receitas extraordinárias obtidas na semana.
 



// leia também

Sexta, 22 de setembro de 2017

00:00 - Bloqueio

Quinta, 21 de setembro de 2017

00:00 - Vem de longe

Quarta, 20 de setembro de 2017

00:00 - Cura gay

Terça, 19 de setembro de 2017

00:00 - Discrição

Segunda, 18 de setembro de 2017

00:00 - Inquéritos

Domingo, 17 de setembro de 2017

00:00 - Retratação

Sábado, 16 de setembro de 2017

00:00 - Tentáculos

Sexta, 15 de setembro de 2017

00:00 - Malebolge

Quinta, 14 de setembro de 2017

00:00 - Lentidão

Quarta, 13 de setembro de 2017

00:00 - Criminalização