WhatsApp Twuitter

Quinta, 30 de agosto de 2018, 00h00

É hoje!


Os candidatos ao governo do Estado que tanto já se atacaram e trocaram farpas via imprensa, nesta quinta-feira (30), vão ter a oportunidade de falar tudo o que pensam um do outro frente a frente. E se o clima continuar do jeito que anda, o primeiro debate entre eles promete ser quente.
Se é uma oportunidade importante para quem disputa, é ainda mais para o eleitor, que vai ter a chance de ver os candidatos despidos de seus marqueteiros e tendo que “improvisar” conforme a música. O compromisso, portanto, é na TV Vila Real (Canal 10), a partir das 11h da manhã.

Descoberta

Ao que parece, a juíza aposentada Selma Arruda começou a perceber que as coisas na política são bem mais complicadas do que parecem e que manter-se minimamente coerente com seus próprios ideais e discursos não é uma tarefa das mais fáceis.
Tem crescido, dia a dia, os rumores de que ela pode desistir da candidatura ao Senado ou, pelo menos, decidir tentar ser eleita sozinha, sem ter que pedir votos para os tucanos Pedro Taques e Nilson Leitão.

Começo ruim...

A verdade é que Selma Arruda começou errado, assim que pisou fora da Sétima Vara de Cuiabá. Se já tinha em mente que não gostaria de ter sua imagem ligada a políticos sequer suspeitos de corrupção, tinha que ter escolhido um partido ainda menor que o PSL.
É uma constatação que chega a ser lamentável, mas a realidade é que tem sido cada vez mais difícil encontrar alguém na política que esteja completamente livre de qualquer suspeita. Por outro lado, como juíza que foi por mais de 20 anos, Selma Arruda também deveria - mais do que ninguém - estar ciente que suspeitas e denúncias podem não ser comprovadas. Ou seja, a ex-magistrada errou também no tom do discurso que adotou.

...rumo pior ainda

E se uma desistência da candidatura ou um afastamento da chapa realmente ocorrer, Selma tem caminhado no rumo de usar como argumento para isso a justificativa errada. A ex-juíza tem dado mais foco ao fato de o PSDB não querer dividir o tempo de campanha na televisão com ela, do que à manutenção do discurso que adotou assim que decidiu ser candidata.
Mais uma vez, está dando munição para os tucanos saírem por cima na história. Isso porque, dentro do PSDB, a conversa já é que Selma Arruda tem usado a questão da propaganda eleitoral apenas para “posar de vítima” e tentar subir nas pesquisas desse jeito.

Discurso 1

Se tem um ponto em que a chapa Mauro Mendes, Jayme Campos e Carlos Fávaro merece crédito nessa campanha, esse ponto é o alinhamento dos discursos. Em tempos de crise financeira, Mendes, como candidato ao governo, tem batido na tecla de redução de gastos do Poder Executivo, enquanto Jayme e Fávaro têm dito que, se eleitos, vão lutar por uma partilha mais justa do dinheiro público entre a União, os Estados e os Municípios.

Discurso 2

Em uma reunião realizada recentemente, Fávaro voltou a usar essa estratégia. Disse que Mato Grosso tem “patrocinado o desenvolvimento de outros estados”, já que as riquezas geradas pelo agronegócio - e disso ele entende bem - resultam em recursos para a União, que nem sempre se revertem em investimentos locais. O discurso é bem impactante. Fávaro só não explica o que - que outros senadores já não fizeram - vai fazer, se eleito, para mudar a situação.

Sigilo

O Democratas e, principalmente, o deputado estadual Mauro Savi parece estar tentando, a todo custo, manter uma eventual candidatura dele à reeleição em sigilo. São muitas as notícias de que Savi vai tentar uma vaga na chapa proporcional do partido, mas todos ligados à questão sempre tratam de tentar desmentir.
As respostas são sempre evasivas. Ninguém diz clara e objetivamente se Mauro Savi já pediu ou não para ser candidato. Os rodeios são no rumo do “não há vaga” ou “precisa haver uma desistência, primeiro”.
Com tanto mistério e falta de clareza sobre o assunto, Mauro Savi só precisa tomar cuidado com uma coisa: conseguir ser candidato à reeleição, ninguém ficar sabendo e, por isso, ele não ser reeleito.

História sem fim

Algumas novelas em Mato Grosso parecem nunca ter fim. É assim com a construção do VLT ou recuperação das avenidas destruídas para a passagem do modal. E também é assim com a Salgadeira. Depois da reabertura do complexo - que teve a data remarcada uma porção de vezes por motivos nunca bem esclarecidos -, agora a questão é sobre o contrato para prestação de serviços no local.
O governo decidiu rescindir, unilateralmente, o vínculo que havia sido criado com a Associação Casa de Guimarães. Assim como no caso do VLT, o argumento foi uma operação policial. Só resta saber agora se isso também não vai acabar em mais um imbróglio jurídico.
 



// leia também

Domingo, 16 de setembro de 2018

00:00 - Palanque

Sábado, 15 de setembro de 2018

00:00 - Ciúmes

Sexta, 14 de setembro de 2018

00:00 - Compliance

Quinta, 13 de setembro de 2018

00:00 - Mão fechada

Quarta, 12 de setembro de 2018

00:00 - Em sigilo

Terça, 11 de setembro de 2018

00:00 - Campanha sobre trilhos

Segunda, 10 de setembro de 2018

00:00 - Planilha

Domingo, 09 de setembro de 2018

00:00 - Sindicância 1

Sexta, 07 de setembro de 2018

00:00 - Sem noção...

Quinta, 06 de setembro de 2018

00:00 - Nunca visto, sempre lembrado